Cingapura cria ministério da ciberdefesa

Paulo Brito
29/01/2015
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Cingapura cria ministério da ciberdefesaCingapura está se preparando para uma ofensiva contra o crime cibernético com o lançamento de um órgão central e a nomeação de um ministro encarregado da segurança cibernética, disse um porta-voz do governo na última terça-feira, já que essa rica cidade-estado enfrenta um aumento da criminalidade online.

Nos últimos anos, Cingapura tem lutado para combater criminosos virtuais, que têm muitos delitos cometidos, incluindo o roubo de dados de clientes do Standard Chartered Bank (STAN.L) e invasão ao site oficial do primeiro-ministro. Especialistas em segurança dizem que os países asiáticos desenvolvidos e ricos em tecnologia são particularmente vulneráveis a ataques. Cingapura depende muito de sua reputação de ter baixo índice de criminalidade e ser politicamente estável para atrair empresas multinacionais para seu território.

A agência nacional de segurança cibernética, que entrará em operação em 1 de Abril, irá consolidar e centralizar a supervisão das funções de segurança cibernética, disse o Gabinete do Primeiro-Ministro em um comunicado. O governo também anunciou as novas funções do ministro encarregado da segurança cibernética. Yaacob Ibrahim, ministro da Comunicação e Informação, vai ocupar o posto. A criação da agência cibernética nacional segue a abertura de um centro da Interpol em Cingapura no ano passado, que se concentra a luta contra o crime cibernético na região. Noboru Nakatani, diretor executivo do Complexo Global da Interpol para a Inovação, disse ser  provável que Cingapura se mantenha como o principal alvo de ataques cibernéticos. A Boeing informou em outubro passado que estava abrindo um centro de segurança cibernética em Cingapura, a sua primeira instalação desse tipo fora dos Estados Unidos, para enfrentar os “desafios de segurança cibernética atuais e em evolução” na região.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest