Fraude digital: cinco presos

Paulo Brito
30/03/2014
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Cinco presos por fraude digital
Os presos em fotos da polícia civil do Distrito Federal

Na manhã da última quinta-feira, dia 28, a polícia civil do Distrito Federal cumpriu cinco mandados de busca e apreensão e quatro de prisão dentro da operação Banknet, deflagrada pela da Coordenação de Repressão a Crimes contra o Consumidor, à Ordem Tributária e a Fraudes (CORF). Todas as ações foram contra membros de uma quadrilha que provocou prejuízos estimados em R$50 milhões contra vários bancos. A operação começou em setembro do ano passado, e desde então 16 pessoas foram presas.

Os truques da quadrilha eram dois: o primeiro era um phishing clássico. Utilizando falsos sites de bancos para capturar dados das contas de clientes, podiam depois fazer saques, transferências, pagamentos de boletos e empréstimos. O outro era  emitir boletos bancários falsos e enviá-los a pessoas que tinham dívidas. Ao quitarem esses boletos, o dinheiro ia para as contas da organização e não para o credor, é claro.

Os presos: Bruno Lobo, 27 anos, acusado também de interceptar as linhas telefônicas das vítimas; Adriana Amaral, 36 anos; Ricardo Cândido, 37 anos (responsáveis pelos boletos) e o analista de sistemas Ailton Araújo, 40 anos, que recebia uma comissão pela criação e operação com os falsos sites bancários.

Se condenados (as acusações são furto qualificado e organização criminosa), suas penas podem totalizar 16 anos de prisão.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest