Cibersegurança de portos alemães preocupa a Otan

Ataques cibernéticos a portos alemães prejudicarão seriamente os esforços da OTAN para enviar reforços militares à Europa
Da Redação
23/11/2022

Ataques cibernéticos que interferissem nas operações dos portos alemães de Bremerhaven ou Hamburgo prejudicariam seriamente os esforços da Otan no envio de reforços militares aos aliados, disse Ben Hodges, ex-chefe do Exército dos EUA na Europa, à agência Reuters.

Veja isso
Ataque na rede Metro/Makro da Áustria, Alemanha, França, Rússia
Otan investiga venda de dados de fabricante de mísseis

Em entrevista à agência, Hodges disse que a defesa cibernética é tão importante quanto a defesa antimísseis.

O ex-general também lembrou o ataque do ransomware NotPetya em 2017, que atingiu várias empresas em diferentes países, incluindo a principal transportadora de cargas do mundo, a dinamarquesa Maersk. A Maersk teria tido um prejuízo da ordem de US$ 300 milhões como consequência do ataque.

“Bremerhaven e Hamburgo são de fato os portos marítimos mais importantes dos quais a aliança depende, em termos de equipamento militar, não apenas de carga comercial… Se não pudermos usar Bremerhaven, será muito difícil para os EUA fornecer reforços e realizar uma parte dos planos operacionais “, disse Hodges.

Além disso, o general está preocupado com a decisão de Berlim de permitir que a companhia marítima estatal chinesa Cosco compre uma participação no terminal do maior porto da Alemanha, Hamburgo. Segundo Hodges, a China terá acesso à infraestrutura crítica de transporte e, se desejar, poderá causar danos.

Compartilhar:

Parabéns, você já está cadastrado para receber diariamente a Newsletter do CISO Advisor

Por favor, verifique a sua caixa de e-mail: haverá uma mensagem do nosso sistema dando as instruções para a validação de seu cadastro. Siga as instruções contidas na mensagem e boa leitura. Se você não receber a mensagem entre em contato conosco pelo “Fale Conosco” no final da homepage.

ATENÇÃO: INCLUA newsletter@cisoadvisor.com.br NOS CONTATOS DE EMAIL

(para a newsletter não cair no SPAM)