Cibercrime alega ter dados da AMD para venda

Da Redação
19/06/2024

Um cibercriminoso que se intitula IntelBroker anunciou, no início desta semana no BreachForums que estava “vendendo a violação de dados da AMD.com”. Sendo isso verdade, não seria a primeira vez que a AMD sofre uma violação de dados. Em 2020, a empresa confirmou que um hacker havia roubado arquivos relacionados a alguns de seus produtos gráficos.

Veja isso
Hacker vaza código fonte da AMD se não receber US$ 100M
Variante ZenHammer que ataca chip DRAM afeta CPUs AMD Zen

Recentemente, o IntelBroker anunciou a venda de dados que ele alegava serem de organizações como Acuity, Zscaler e Europol.

Os dados agora oferecidos para venda supostamente incluem informações sobre futuros produtos AMD, bancos de dados de clientes e funcionários, folhas de especificações, código-fonte, arquivos de propriedades, firmware e documentos financeiros. O banco de dados de funcionários supostamente inclui informações como nome, cargo, número de telefone e endereço de e-mail.

O IntelBroker tornou públicas várias capturas de tela na tentativa de demonstrar suas afirmações. Os arquivos comprometidos foram supostamente obtidos em junho de 2024. “Estamos cientes de uma organização cibercriminosa que afirma estar de posse de dados roubados da AMD”, disse um porta-voz da AMD ao portal SecurityWeek. “Estamos trabalhando em estreita colaboração com as autoridades policiais e um parceiro de hospedagem terceirizado para investigar a reclamação e a importância dos dados.”

A declaração da AMD sugere que os dados, se autênticos, poderiam ter origem em um fornecedor, e não diretamente nos próprios sistemas da empresa.

Compartilhar: