Cibercrime abre nova geração de fraudes com o uso de deep fakes

Relatório mostra como o cibercrime anuncia, discute, compra e vende produtos e serviços de deepfake
Da Redação
03/05/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Cibercriminosos estão investindo dinheiro e tempo na aquisição de ferramentas para a geração de conteúdo audiovisual sintético para aperfeiçoar suas fraudes. Em outras palavras, eles estão investindo pesado em deep fakes, conforme pesquisa publicada pela empresa de monitoramento de ameaças Recorded Future. Eles começaram a usar fontes da dark web para que oferecem serviços personalizados e tutoriais para incorporar tecnologias de deep fake visuais e de áudio projetadas para contornar e derrotar estratégias de segurança.

Esses cibercriminosos estão usando essas fontes, bem como outras da internet normal, como fóruns e mensagens, para compartilhar ferramentas, práticas e avanços em técnicas e tecnologias de falsificação. Conforme relatado pelo Criminal and Underground Team do Insikt Group ao longo de 2020, os agentes de ameaças estão desenvolvendo produtos falsificados personalizados.

Veja isso
Deep fakes vão ganhar espaço e elevar mais o risco cibernético
Deepfakes e áudio sintético: os novos vilões da segurança

Na perspectiva da Recorded Future, eles continuarão a desenvolver esses produtos, já que a demanda provavelmente aumentará para superar as medidas de segurança trazidas pelas tecnologias de reconhecimento visual e de áudio. Nos próximos anos, tanto os criminosos quanto os agentes de ameaças de Estados-nação envolvidos em operações de desinformação e influência provavelmente vão optar pelo uso de deep fakes. Algumas conclusões do relatório:

  • A tecnologia deep fake usada de forma maliciosa migrou da simples criação de conteúdo pornográfico para o ambiente da quebra de segurança e da desinformação. Exemplos publicamente disponíveis de criminosos usando deepfakes visuais e de áudio destacam um grande potencial para todos os tipos de fraudes ou crimes, incluindo chantagem, roubo de identidade e engenharia social.
  • Os fóruns da dark web em inglês e russo foram identificados como as principais fontes para os usuários anunciarem, discutirem, compartilharem e comprarem produtos e serviços relacionados a deep fakes. Os fóruns mais frequentados ​​são os de nível baixo a médio, com barreiras de entrada mais baixas, mas também foram encontradas atividades em fóruns de nível superior. Tópicos falsos também foram identificados em fóruns em turco, espanhol e chinês.
  • Os tópicos mais comuns relacionados ao deep fake em fóruns na dark web são os de serviços (edição de vídeos e fotos), métodos e tutoriais sobre como fazer, solicitações de melhores práticas, compartilhamento de downloads de software gratuito e geradores de fotos e notícias sobre avanços em tecnologias deep fake.
  • Há forte interesse na tecnologia deep fake por parte de usuários da internet normal, buscando ferramentas de código aberto, em fóruns dedicados e discussões sobre aplicativos de mensagens como Telegram e Discord.
  • As discussões envolvem principalmente aprendizado e interesse genuíno na tecnologia deep fake. No futuro, diz o relatório, esta comunidade relativamente benigna pode servir de base para indivíduos se aventurarem em atividades criminosas ilícitas usando as habilidades de falsificação aprendidas.

Com agências de notícias internacionais

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Inscrição na lista CISO Advisor

* campo obrigatório