flight-route-888686_1280.jpg

Ciberataques interrompem serviços de rastreamento de voos

Ainda não está claro quem está por trás dos ataques cibernéticos, mas tudo indica que seja uma campanha de hacking contra esses serviços
Da Redação
30/09/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Dois dos sites de rastreamento de voos mais populares, o Flightradar24 e o PlaneFinder, tiveram seus serviços interrompidos após sofrerem consecutivamente vários ataques cibernéticos. Tudo indica que seja uma campanha de hacking bem organizada visando empresas de serviços de rastreamento de voos em tempo real.

O Flightradar24 foi atacado três vezes em dois dias, enquanto o PlaneFinder foi atacado várias vezes. O PlaneFinder fez um post no Twitter da companhia que confirma o ataque e pediu aos usuários que tivessem a paciência enquanto tentavam consertar o problema.

“Se você está tendo problemas para acessar o PlaneFinder esta manhã [terça-feira, 29], obrigado por sua paciência. Estamos trabalhando duro para reestabelecer totalmente o serviço assim que pudermos”, disse a empresa em comunicado.

Relatos dão conta que os usuários do PlaneFinder não conseguiram acessar feeds ao vivo porque o site estava offline por volta das 12h40 (GMT) de terça-feira. No entanto, no meio da tarde o serviço estava novamente online.

Veja isso
Invasão pega 9,4 milhões de registros de aérea
Site da United Airlines exibiu reembolsos de passageiros

O Flightradar24 e o PlaneFinder permitem que os usuários monitorem o tráfego aéreo em tempo real em todos os principais aeroportos do mundo. As duas plataformas são bastante populares entre os entusiastas da aviação e viajantes em todo o mundo. Ambos os sites têm milhões de usuários registrados e milhares de voos são rastreados diariamente por meio deles.

Os serviços de rastreamento de voo também permitem que os usuários identifiquem o número do voo, modelo da aeronave, nível de elevação, destino, códigos de sinal de socorro e a velocidade da aeronave.

Em uma série de tweets, o Flightradar24 afirmou que, após sofrer três ataques cibernéticos, eles lutaram para retomar o serviço. O site voltou ao ar na terça-feira, mas há reclamações de problemas de carregamento. Este não é o primeiro ataque sofrido pelo Flightradar24. Em junho de 2018, o serviço sofreu uma violação de dados que vazou e-mails e senhas criptografadas de mais de 230 mil usuários.

Lançado em 2009, o PlaneFinder permite que seus membros registrados compartilhem os dados MLAT e ADS-B por meio do Cliente ADS-B do site. O site também oferece suporte a gráficos VFR. Foi o primeiro a lançar um recurso de replay em seu aplicativo de rastreamento de voo para permitir que os usuários reproduzissem voos desde 2011.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest