Ciberataques financiaram programa nuclear da Coreia do Norte

Hackers norte-coreanos teriam roubado mais de US$ 300 milhões para financiar os programas nucleares e de mísseis balísticos do país
Da Redação
10/02/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Especialistas da ONU acreditam que o governo da Coreia do Norte financiou o seu programa de mísseis nucleares com recursos obtidos em ataques cibernéticos. Hackers norte-coreanos teriam roubado mais de US$ 300 milhões para financiar os programas nucleares e de mísseis balísticos do país, segundo afirma um relatório confidencial de especialistas da ONU sobre a Coreia do Norte, recebido pela CNN por meio de uma fonte diplomática do Conselho de Segurança da ONU.

Veja isso
Coréia do Norte roubando Bitcoins?
Diplomacia americana começa a agir também no ciberespaço

A equipe de vigilância descobriu que, de 2019 a novembro de 2020, os hackers norte-coreanos podem ter desviado US$ 316,4 milhões em ativos virtuais. Os cibercriminosos ligados à Coreia do Norte atacaram instituições financeiras e casas de câmbio virtuais (exchanges).

Os especialistas acreditam que, com esse dinheiro, a Coreia do Norte provavelmente atualizou as armas nucleares e os mísseis balísticos. Eles observaram que o governo de Pyongyang recentemente mostrou novos sistemas de mísseis de curto e médio alcance em um desfile militar, bem como submarinos atualizados e armas balísticas intercontinentais.

A ONU acredita que novas sanções devem ser aplicadas às autoridades norte-coreanas.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest