China usa IA para influir nas eleições dos EUA, diz Microsoft

Da Redação
08/04/2024

Operadores de ameaças vinculados à China estão intensificando o uso da inteligência artificial (IA) para influenciar e semear divisões nos EUA e em outros países, de acordo com um novo relatório do Microsoft Threat Analysis Center (MTAC). Os pesquisadores do MTAC identificaram como operadores pessoas filiadas ao Partido Comunista Chinês (PCC), que estariam publicando conteúdo gerado por IA nas redes sociais para amplificar questões internas controversas e criticar a administração Biden.

Um exemplo seria o grupo Storm-1376, especializado em operações de influência, que espalhou narrativas conspiratórias sobre os incêndios florestais ocorridos no Havaí em agosto do ano passado em múltiplas plataformas de redes sociais. As postagens afirmavam que o governo dos EUA havia provocado deliberadamente os incêndios para testar uma “arma meteorológica” de nível militar. O Storm-1376 usou imagens geradas por IA de estradas costeiras e residências em chamas para tornar o conteúdo mais impactante e postou textos em pelo menos 31 idiomas.

Em outro caso, o grupo lançou uma campanha nas redes sociais sobre o descarrilamento de um comboio no estado norte-americano do Kentucky, ocorrido durante o feriado de Ação de Graças. As publicações espalharam a narrativa de que o governo dos EUA pode ter causado o descarrilamento e está “ocultando algo deliberadamente”.

As campanhas de influência do Storm-1376 também tiveram como objetivo alimentar a discórdia entre países da Ásia Oriental. Isso incluiu o uso de memes e imagens geradas por IA criticando o governo japonês depois que o Japão começou a liberar águas residuais radioativas tratadas no Oceano Pacífico em agosto de 2023. As mensagens foram transmitidas indiscriminadamente através de plataformas de redes sociais em vários idiomas, incluindo japonês, coreano e inglês.

O relatório também observou o uso crescente de pessoas geradas por IA em vídeos de hackers afiliados à China. Isso incluiu âncoras de notícias geradas por IA criadas por empresas de tecnologia terceirizadas, usando a ferramenta CapCut da empresa de tecnologia chinesa ByteDance. Esses âncoras gerados por IA apareceram em uma variedade de campanhas apresentando autoridades taiwanesas na preparação para as eleições presidenciais de Taiwan em janeiro deste ano.

Veja isso
Google alerta que China está elevando ciberataques a Taiwan
EUA veem atividade maliciosa da China como preparativo de guerra

O MTAC observou o uso crescente de “sockpuppets” (identidades falsa usadas para fins fraudulentos)chineses que se passam por eleitores dos EUA nas redes sociais para emitir opiniões sobre temas políticos aos cidadãos americanos. Os investigadores acreditam que é provável que isso reúna inteligência e precisão sobre os principais dados demográficos eleitorais antes das eleições presidenciais dos EUA, para influenciar os eleitores.

A Microsoft acredita que os operadores de ameaças cibernéticas e de influência ligados à China trabalhem para influir em uma série de eleições importantes que ocorrerão ainda neste ano, incluindo na Índia, Coreia do Sul e nos EUA, usando IA para auxiliar as suas campanhas.Acesse o relatório da Microsoft (em inglês) clicando aqui.

Compartilhar: