Check Point adquire outra empresa em menos de um mês

Menos de 30 dias após a compra da Cymplify, startup de tecnologia de segurança de dispositivos IoT, a Check point adquire a Protego, especializada em proteção de ambientes de computação serveless

A Check Point (NASDAQ: CHKP) anunciou ontem a aquisição da Protego, uma empresa de tecnologia de segurança baseada em Baltimore (Maryland, EUA), especializada em ambientes de computação em nuvem – mais precisamente, em ambientes serverless. A Check Point afirma que se torna, com essa aquisição, o primeiro fornecedor a ter uma solução consolidada de segurança para proteção de workloads e gerenciamento de postura de segurança em nuvem.

A computação serverless é aquela na qual um cliente contrata elasticidade de recursos, ao invés de um número específico de servidores, processadores, disco e memória. A Protego fornece justamente uma tecnologia de segurança que impede ataques maliciosos a funções serverless e evita que códigos vulneráveis sejam implementados na produção.

A Check Point colocará essa tecnologia à disposição dos clientes por meio de sua arquitetura Infinity, sua solução de segurança que cobre ambientes de rede, dispositivos móveis, endpoints (terminais), IoT e nuvem. Anunciada ontem, a transação de aquisição da Protego pela Check Point deverá ser concluída ainda este mês, enquanto a tecnologia será integrada à arquitetura Infinity no primeiro trimestre de 2020.

A Check Point trabalha em proteção dos ambientes de nuvem com uma plataforma chamada CloudGuard, que dá cobertura aos ativos em nuvem pública, privada, híbrida ou em múltiplas nuvens. Essa solução, segundo a empresa, agora é para os ambientes serverless, proporcionando ao CISO visibilidade total, controle e cobertura de segurança de toda a área serverless com apenas um clique. A tecnologia da Protego integra-se ao conjunto de estruturas de CI (Continuous Integration) / CD (Continuous Delivery), para que as equipes de DevOps garantam que apenas as funções compatíveis sejam implementadas na produção. Segundo a Check Point, os clientes valorizam a tecnologia da Protego por seus recursos inovadores de proteção IAM (Identity & Access Management) e mínimo impacto no desempenho, protegendo ambientes de runtime serverless.

Compartilhe
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp