Canadense pega 20 anos de prisão por ataques de ransomware

Sebastien Vachon–Desjardins, de 35 anos, foi condenado pela Justiça dos EUA por participar dos ataques do ransomware NetWalker
Da Redação
05/10/2022

O canadense Sebastien Vachon–Desjardins, de 35 anos, foi condenado a 20 anos de prisão e multado em US$ 21,5 milhões por participar dos ataques do ransomware NetWalker, disse o escritório de relações públicas  do Departamento de Justiça (DOJ) dos EUA.

Vachon–Desjardins, de Gatineau, Quebec, foi extraditado para os Estados Unidos em janeiro deste ano, de acordo com o tratado de extradição entre os Estados Unidos e o Canadá. Os policiais canadenses o prenderam por meio de mandado de busca e apreensão em sua casa. Durante a busca, a polícia descobriu e apreendeu US$ 742.840 em moeda canadense e 719 Bitcoins, avaliados em aproximadamente US$ 21,8 milhões no momento da apreensão e US$ 14,4 milhões hoje.

“O réu, neste caso, usou meios tecnológicos sofisticados para explorar centenas de vítimas em vários países no auge de uma crise internacional de saúde”, disse o procurador dos EUA Roger B. Handberg, referindo-se a pandemia de Covid-19. “Este caso é um exemplo da dedicação e do trabalho tenaz de nossos parceiros de aplicação da lei para levar esses criminosos à justiça, não importa onde residam ou operem.”

A condenação de Vachon-Desjardins ocorre quase um ano depois de o governo dos EUA lançar uma ação global contra a gangue de criminosos cibernéticos NetWalker em janeiro de 2021, apreendendo US$ 454 mil em criptomoeda, provenientes de pagamentos de resgate feitos por vítimas de três ataques separados.

Veja isso
Hackers presos por bloquear sensores de radiação na Espanha
12 presos, suspeitos do ransomware em 1.800 empresas

“O réu identificou e atacou vítimas de ransomware de alto valor e lucrou com o caos causado por criptografar e roubar os dados das vítimas”, disse o procurador-geral assistente Kenneth A. Polite Jr., da divisão criminal do Departamento de Justiça, comentando a decisão. “A sentença de hoje demonstra que os operadores de ransomware enfrentarão consequências significativas por seus crimes e exemplifica o firme compromisso do Departamento de perseguir os atores que participam de esquemas de ransomware.”

Além disso, de acordo com um agente especial responsável, David Walker, do FBI, a decisão deve lembrar ao público americano que a agência está comprometida em combater ameaças cibernéticas com suas capacidades técnicas e parcerias de aplicação da lei. “Nossas forças-tarefa cibernéticas trabalham vigorosamente para expor os adversários cibernéticos que atacam os cidadãos dos Estados Unidos e levá-los à justiça.” Com agências de notícias internacionais.

Compartilhar:

Últimas Notícias