Campanha de phishing com a Ômicron já está circulando

Cibercriminosos agiram rápido e já estão utilizando a nova variante em campanha de e-mail de phishing
Da Redação
05/12/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Os cibercriminosos agiram rápido às notícias de uma nova variante do coronavírus, a Ômicron, potencialmente mais transmissível, é já criaram campanhas de e-mail de phishing cuidadosamente elaborada para tirar proveito da situação, de acordo com observadores.

O grupo britânico de defesa do consumidor Which?, por exemplo, identificou um e-mail de phishing criado para parecer enviado pelo serviço de saúde pública do Reino Unido, o NHS (SUS britânico), e exorta os destinatários a realizar um novo teste PCR para a variante ômicron.

Duas versões separadas do mesmo e-mail apresentam um link e um botão de aparência legítima com a frase “obtenha agora”. “O e-mail falso também foi enviado para a Which?, que é membro do NHS usando o endereço de e-mail ‘contact-nhs [AT] nhscontact.com’. Este endereço de e-mail pode parecer autêntico, mas não tem nada a ver com o NHS”, explica um comunicado do Which?.

Veja isso
Cibercriminosos usam trojan IcedID em ataques que exploram o tema covid-19
Canal do Telegram vaza documentos da Pfizer e BioNTec sobre covid-19

Além de alegar falsamente que a nova variante requer novos kits de teste, o e-mail convida os destinatários a visitar o site. Mas clicar no link, ele é levado ao endereço “healt-service-nh.com” que é uma cópia do site do NHS criado há poucos dias.

O site de phishing então pede que os usuários insiram seu nome completo, data de nascimento, endereço, número de celular e endereço de e-mail, bem como o nome de solteira de sua mãe — que os golpistas podem usar para criar ataques de fraude de identidade subsequentes. Ele também pede um pequeno pagamento para “entrega”. Se o usuário realizar o pagamento, ele também terá seus dados de cartão bancário roubados.

No auge da primeira onda da pandemia, em abril de 2020, o Google disse ter bloqueado mais de 240 milhões de mensagens de spam com o tema covid por dia e 18 milhões de e-mails de malware e phishing. Muitos deles direcionados a usuários no Brasil. Portanto, assim como a nova variante, a chegada de e-mails de phishing que utilizam a Ômicron para atacar é apenas uma questão de tempo.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

ATENÇÃO: INCLUA [email protected] NOS CONTATOS DE EMAIL

(para a newsletter não cair no SPAM)