Câmera espiã é temida por 65% dos brasileiros

Paulo Brito
18/10/2017
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Uma pesquisa feita pela Avast no início de Outubro revelou que 65% dos brasileiros temem que a webcam de seus computadores se torne uma câmera espiã. Entre os americanos e canadenses, esse número é 61%. Muitas ferramentas capazes de invadir a webcam de um computador estão disponíveis no mercado ou mesmo na DarkNet e várias são gratuitas. As câmeras têm um LED que indica sua atividade, mas algumas das ferramentas evitar que a luz se acenda.

Em comparação com os resultados globais, a pesquisa da Avast (proprietária das linhas de produtos de segurança Avast e AVG) indica que os brasileiros estão mais conscientes de que podem ser espionados sem que a luz indicadora da webcam seja acesa. Globalmente, 40% dos entrevistados desconhecem esse risco, enquanto 50% dos brasileiros afirmam ter conhecimento dele.

Muitas pessoas, como o ex-diretor do FBI, James Comey, e o CEO do Facebook, Mark Zuckerburg, cobrem suas webcams para evitar que espiões os vejam, caso consigam invadir seus dispositivos. No Brasil, apenas 37% dos entrevistados fazem isso. A prática é maior entre usuários dos Estados Unidos (52%) e do Canadá (55%).

“Cobrir webcams é um bom começo, mesmo que muitas vezes seja inconveniente para as pessoas que frequentemente usam a câmera do computador”, diz Ondrej Vlcek, CTO da Avast. Recentemente, a empresa lançou para os usuários dos produtos AVG e Avast um recurso para total controle de uso das câmeras, sem eliminando a necessidade de cobrí-las: os usuários têm a opção de forçar todas as aplicações que usem câmera a solicitar sua permissão antes de acessar esse recurso.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest