fraude no comércio eletrônico

Brasil teve mais de 2,8 milhões de tentativas de fraude no semestre 

Em valores, o total chega a mais de R$ 2,9 bilhões, de acordo com 165 milhões de pedidos registrados no banco de dados da ClearSale
Da Redação
25/07/2022

O Brasil registrou mais de 2,8 milhões de tentativas de fraude no período de 1º de janeiro a 30 de junho deste ano, segundo o Mapa da Fraude da ClearSale, fornecedora de soluções de prevenção e gerenciamento de risco. De acordo com o estudo exclusivo sobre o e-commerce, o número indica um crescimento de 9% na comparação com o mesmo período do ano passado. Em valores, o total chega a mais de R$ 2,9 bilhões, de acordo com 165 milhões de pedidos registrados no banco de dados da empresa. No comparativo com 2021, o número foi quase 10% maior.

Segundo o head de estratégia de mercado da ClearSale, Marcelo Queiroz, os dados refletem o crescimento das vendas no e-commerce, mas de forma retraída, comparado aos últimos anos. “Comparado aos últimos anos, o primeiro semestre teve um crescimento de forma mais retraída, e isso já era esperado por conta da desaceleração do e-commerce após o boom ocorrido devido à pandemia. Mas, essa crescente ainda é sentida e, consequentemente, as fraudes também se evidenciam, haja vista o crescimento tanto em quantidade quanto em valores. Quanto mais brasileiros migram para o varejo digital, maior será a proporção de fraudadores no e-commerce e as empresas precisam atentar-se a isso.”

Entre as categorias que mais sofreram tentativas estão os eletrônicos (9,01%), celular (7,94%) e games (5,65%). Estes artigos também lideraram no primeiro semestre de 2021, apenas com uma mudança: o celular ocupou o primeiro lugar, seguido por eletrônicos e, em terceiro, ficou a categoria de games. A razão desses grupos liderarem, segundo a empresa, se deve ao fato de oferecem maior liquidez, facilidade de transporte e alta procura em mercados paralelos, “portanto, dificilmente sairão da liderança”. 

Para o levantamento do Mapa da Fraude, a ClearSale considerou apenas pagamentos via cartão de crédito no setor de e-commerce. São consideradas tentativas de fraude todas as transações que, por algum motivo, foram classificadas como suspeitas ou que foram confirmadas como fraude.

Regiões  e mercados com maiores índices de fraudes

A região Norte (3,34%) segue apresentando o maior índice percentual de tentativas de fraudes sobre a quantidade de transações. Já a região Sul (1,09%), apresenta o menor índice do ranking dos estados. Mas, considerando números absolutos, a região Sudeste, com 49,1 milhões de pedidos, respondeu pelo maior número de fraudes do país.

O mercado financeiro registrou 527 mil tentativas de fraudes em processos digitais como abertura de contas, emissão de cartões, Pix e empréstimo pessoal. Foram analisadas mais de 19 milhões de transações, sendo que as tentativas de fraude representam 2,71% das transações.

Já em telecomunicações, foram analisadas 6,6 milhões de transações, das quais mais de 212 mil apresentaram tentativas de fraude — um percentual de 3,18%, com a região Nordeste sendo a mais exposta. Na comparação com o mesmo período de 2021, houve uma queda no número de tentativas de fraudes no mercado de telecomunicações.

Veja isso
Fraudes mais comuns que bancos enfrentarão em 2022
Golpe do falso pagamento já responde por 42% das fraudes

No setor de vendas diretas, os fraudadores mostraram-se atentos às mudanças e tecnologias para aplicar golpes. Foram analisados 1,4 milhão de pedidos, dos quais mais de 35 mil sofreram tentativas de fraude, representando 2,4% das transações.

O mercado PJ foi a novidade deste ano no Mapa da Fraude. Nele, são considerados os dados relacionados à pessoa jurídica. O setor teve 1,3 milhão de transações analisadas, das quais 17 mil sofreram tentativas de fraudes, um registro de 1,3%. Essas tentativas representam mais de R$55 milhões. É importante ressaltar que, no B2B, os valores são mais altos e os riscos ultrapassam prejuízos financeiros.

O público masculino é o que mais sofre com tentativas de fraudes (2,88%), seguido por outros (2,25%), segundo o estudo. Já o público feminino apresenta (1,55%) do número de fraudes. Em termos de faixa etária, pessoas de até 25 anos foram as que mais sofreram tentativas de fraudes (3,41%), seguido pelo grupo de 26 a 35 anos (1,76%).

Compartilhar:

Últimas Notícias