Brasil tem mais de 5 mil tentativas de fraude de identidade por hora

Da Redação
05/07/2022

O primeiro semestre foi marcado por 5,1 mil tentativas de fraudes de identidade por hora em todo país, o que totaliza cerca de 2,1 milhões de tentativas, entre janeiro e junho, segundo levantamento realizado pela Unico. Contabilizando custos tangíveis e presumidos, a estimativa é que foram evitados prejuízos de cerca de R$ 59 bilhões.

Para o levantamento, a IDTech brasileira de soluções de proteção de identidade digital acompanhou 14 segmentos/setores (administradoras de cartões, alimentos e bebidas, aplicativos, bancos, e-commerce, financeira, fintechs, mobilidade, saúde, serviços, energia, tecnologia da informação e varejo), nos quais a tecnologia de biometria facial identificou tentativas de fraudes de identidade, ou seja, quando uma pessoa tenta se passar por outra ao abrir uma conta no banco, solicitar crédito, fazer uma compra online, realizar uma transação, entre outras situações.

Com mais de 1 milhão de tentativas de fraudes, as fintechs lideraram o ranking no período. Em segundo lugar aparecem os bancos, com 512 mil tentativas. Na terceira colocação vem o varejo, do qual foram barradas cerca de 235 mil ações fraudulentas somente nos primeiros seis meses do ano.

Veja isso
Campanhas de BEC-as-a-service impulsionam fraudes por e-mail
Fraudes mais comuns que bancos enfrentarão em 2022


“Podemos notar, em relação ao primeiro semestre de 2021, que o número de tentativas de fraudes quase dobrou no país. Por isso, o uso de tecnologias de reconhecimento facial com biometria se faz cada vez mais necessário para barrar essas ações e dificultar a vida dos fraudadores”, enfatiza André Nery, diretor de produto da Unico.

Segundo ele, o princípio da fraude está no comportamento das pessoas, como o uso de senhas frágeis, compartilhamento de dados com terceiros, no cartão de crédito emprestado. “São pequenas brechas que acabam lesando os consumidores e as empresas. Cerca de 40% das pessoas já tiveram algum problema com fraude de identidade, por exemplo, quando alguém tenta se passar por você em alguma situação”, explica Nery.

No universo dos golpes, a fraude mais verificada são via injection (injeção, em português), que durante a captura da imagem do usuário, o fraudador se utiliza de um outro software para imputar uma foto da pessoa fraudada diretamente da galeria do celular. Bonecos ou manequins se passando por pessoas também são comuns entre as ações dos golpistas no Brasil.

Compartilhar: