Pesquisa: país pouco evolui em segurança

A Unisys anunciou na última semana os resultados da 14ª edição do Unisys Security Index™, estudo global que mede anualmente as percepções dos consumidores com segurança, em quatro categorias: segurança nacional, financeira, na internet e pessoal. A pesquisa revela que uma alta porcentagem dos brasileiros (85%) já foi vítima, ou conhece alguém que tenha passado por pelo menos um tipo de fraude cibernética.

Entre as respostas, o recebimento de e-mails não solicitados (spam) ou com golpes (phishing) foram os mais citados (54% e 42%, respectivamente) pelos brasileiros. Na sequência, fraude com cartão bancário (39%), mensagens falsas no WhatsApp (36%) e roubo de identidade (19%) aparecem com as maiores incidências.

Esse alto número de ocorrências se reflete na preocupação dos brasileiros com roubo de identidade e fraudes bancárias, com 76% e 75% dos entrevistados apontando estar muito ou extremamente preocupados com esses temas, respectivamente. A maioria dos participantes também relatou séria preocupação com ataques de hackers e vírus cibernéticos (69%) e com a segurança das compras online (65%).

Outros destaques dos resultados no Brasil incluem a percepção dos respondentes sobre estratégias de governo digital para proteção de dados pessoais, como a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e criação do Documento Nacional de Identidade (DNI). Segundo o estudo:

59% dos brasileiros estão apenas um pouco confiantes de que a LGPD vai garantir a segurança de seus dados mantidos por empresas e governos;
69% deles acreditam que ter um registro de identificação unificado (DN) melhoraria a segurança dos dados pessoais.
“O Unisys Security Index de 2019 mostra que a sensação de insegurança está aumentando no Brasil dentro das quatro áreas de análise da pesquisa. Notoriamente, os níveis de preocupação com ameaças online são os mais altos e acompanham o grande número de vítimas de ataques cibernéticos nos últimos anos. Esses resultados enfatizam que a proteção de dados ainda não é uma questão estabelecida no Brasil e que precisa ser repensada por governos, empresas e consumidores”, comenta Eduardo Almeida, presidente da Unisys para América Latina.

O Unisys Security Index™ 2019 entrevistou mais de 13 mil consumidores em 13 países, incluindo mais de mil respondentes no Brasil, entre fevereiro e abril de 2019. A Unisys avaliou suas atitudes em uma ampla gama de questões relacionadas à segurança e criou um índice calculado de zero a 300, no qual 300 representa a preocupação mais alta. O Brasil atingiu 190 pontos nessa escala e está em no sexto lugar no ranking global:

Baixe o documento neste link: https://secureoutreach.unisys.com/USI2019BR?src=ms

Compartilhe
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp