computer-1500929_1280.jpg

Brasil é o país mais atacado pelo infostealer NullMixer

Malware infecta aparelhos por meio do download ilegal de programas, para roubar credenciais, dados de cartões de crédito e outras informações
Da Redação
06/10/2022

Pesquisadores da Kaspersky descobriram uma nova campanha de propagação do NullMixer, malware que rouba credenciais, endereço, dados de cartões de crédito, criptomoedas e até mesmo contas do Facebook e da Amazon. Ao tentar fazer o download de um software, a partir de sites de terceiros, cerca de 10 mil brasileiros foram atacados, número que representa mais de 20% das 47 mil detecções ao redor do mundo. O Brasil sofreu 2,5 vezes mais ataques por esse malware que a Índia, segundo colocado.

O NullMixer é distribuído por cibercriminosos através de sites que oferecem programas piratas de computador e ativadores para baixar um software ilegalmente. Na maioria dos casos, os usuários já recebem algum adware ou outro software indesejado por meio de softwares ilegais, porém o NullMixer se diferencia por ser muito mais perigoso, pois ele pode realizar um download massivo de trojans e ocasionar uma infecção em grande escala nos dispositivos. 

Ao tentar baixar o software crackeado de um desses sites, a vítima é redirecionada para uma página que contém um programa protegido por senha e instruções detalhadas. Tudo parece normal, como se o indivíduo estivesse realmente prestes a fazer o download do software. No entanto, seguindo as instruções, a pessoa inicia o NullMixer, que lança vários arquivos de malware na máquina infectada, incluindo spyware, backdoors, trojans para roubos bancários e outras ameaças.

Entre as ameaças espalhadas pelo NullMixer está o RedLine, que assim como o malware Disbuk — também conhecido como Socelar — caça dados de cartões de crédito e criptomoedas de computadores infectados. Ao roubar cookies do Facebook e da Amazon com o Disbuk, os golpistas podem obter acesso às contas da vítima e utilizar suas credenciais, endereço e até detalhes de pagamento.

Veja isso
Emotet se recicla e ganha módulo de roubo de cartão de crédito
FormBook assume liderança como malware predominante

Os cibercriminosos também utilizam ferramentas profissionais de SEO para se manter nos primeiros resultados dos mecanismos de busca. Isso facilita que os sites maliciosos sejam encontrados com pesquisas por termos como “cracks” e “keygens”, aumentando o alcance do golpe. 

“Qualquer download de arquivos a partir de fontes não confiáveis é uma verdadeira roleta: nunca se sabe se o que é baixado se trata do software esperado ou se ele virá com algum malware de brinde. Com o NullMixer, qualquer informação que escreva em seu teclado estará disponível para os golpistas: desde mensagens enviadas aos seus amigos em redes sociais até logins e senhas do seu dispositivo ou contas de criptomoedas. Tenha isto em mente quando decidir fazer um download de um site desconhecido, porque esta ameaça pode sempre ser evitada utilizando apenas produtos licenciados e soluções de segurança robustas”, comenta Fabio Assolini, diretor da equipe global de pesquisa e análise da Kaspersky na América Latina.

Compartilhar:

Últimas Notícias