ddos sobiu 180% em 2019

Brasil concentra maior volume de ciberataques na América Latina

Relatório aponta crescimento de 78,73% em ataques contra organizações religiosas na América Latina, maioria concentra-se no Brasil
Da Redação
02/11/2022

O número de ataques digitais contra instituições religiosas na América Latina primeiro semestre cresceu 78,73% na comparação com a segunda metade do ano passado. A maior incidência concentra-se no Brasil. O país respondeu por 12,4% dos ataques distribuídos de negação de serviços (DDoS) nos seis primeiros meses deste ano. A duração média foi de 26 minutos. O maior foi de 450 GB por segundo, de acordo com o relatório de inteligência em ameaças DDoS da NetScout Systems.

O crescimento de ataques DDoS foi de 19% na América Latina. Mais de metade desses ataques tem o Brasil como alvo. São utilizados botnets cada vez mais poderosas, com capacidade de construir ataques DDoS baseados em TCP, focados em um alvo específico — conhecidos como “direct path attacks” —, muitas vezes vinculados a eventos sociopolíticos e de entretenimento – como guerra, política, religião e esportes.

Além das organizações religiosas, o setor financeiro também contribui significativamente para essa marca. Os bancos comerciais experimentaram um aumento de 63% nos ataques no primeiro semestre na comparação com a segunda metade de 2021. Já as operadoras de cartões dos mais variados tipos foram de zero a 350 ataques nos últimos 18 meses. O crescimento dos ataques cibernéticos corresponde diretamente ao crescimento do setor de bancos comerciais no continente. Outra possibilidade é que esses ataques DDoS estejam sendo usados como cortina de fumaça para outros tipos de eventos de intrusão. 

Veja isso
50% dos ataques DDoS estão atingindo o Brasil, diz relatório
Imperva registra DDoS acumulando 25,3 bilhões de RPS

Alguns dos picos de ataques DDoS coincidem com datas de grandes eventos geopolíticos ou religiosos. Os ataques baseados em TCP (amplificação TCP SYN, ACK, RST e SYN/ACK) representam quase 60% do total na América Latina, provavelmente indicando que os hackers preferem usar botnets e ataques do tipo “direct path”, aqueles focados em um alvo específico. 

O Brasil sempre teve uma concentração extremamente alta de atividades de botnets originadas e direcionadas a entidades locais, indicando um ecossistema interno de botnets bastante maduro. Política e religião não são os únicos fatores que afetam o cenário cibernético de forma significativa. Mesmo grandes eventos de entretenimento e conferências podem desencadear ondas de ataques digitais. Houve um notável pico de ataques DDos durante o Carnaval deste ano no Brasil. Além da alta circulação de turistas, muitas empresas globais realizaram conferências no país durante o período.

Compartilhar:

Últimas Notícias