Deep Fake News

Bots e usuários falsos em 1/3 do tráfego da Black Friday

Estudo da empresa de segurança CHEQ revelam que bots e usuários falsos representaram 35,7% de todos os compradores online da Black Friday
Da Redação
06/12/2021

Robôs e usuários falsos representaram 35,7% de todos os supostos compradores online da última Black Friday, afirma um estudo da empresa de segurança cibernética CHEQ. A empresa estima que os prejuízos causados por esse tráfego aos negócios podem ultrapassar US$ 1,2 bilhão, já que os gastos do varejo somaram perto de US$ 6 bilhões em marketing, além da exposição a fraudes financeiras, dados distorcidos e perda de receita.

Entre as formas de tráfego falso descobertas pela CHEQ estavam scrapers e crawlers maliciosos, botnets sofisticados, contas falsas, click farms e usuários proxy, bem como uma série de usuários ilegítimos cometendo fraudes relacionadas ao comércio eletrônico. O estudo foi conduzido em um pool de mais de 42.000 sites na América do Norte , Europa e Ásia , aplicando centenas de testes de segurança cibernética a cada visitante do site para determinar sua autenticidade.

Os sites de comércio eletrônico foram considerados particularmente vulneráveis, com alta exposição a ataques de cartões, fraude de estorno, violações de dados, inscrições falsas e outros tipos de atividades perturbadoras.

Veja isso
Black Friday: mais de 1,1 milhão de tentativas de golpes barradas
Black Friday 2019 sofre menos tentativas de fraude online

“O tráfego de sites falsos é um problema o ano todo, mas nesta Black Friday vimos um aumento acentuado no setor de varejo online”, disse Guy Tytuniovich, CEO da CHEQ. “Isso não é uma grande surpresa para nós, dado o aumento da atividade de comércio eletrônico, uma tendência acelerada pela pandemia global. Em última análise, o crime cibernético segue o dinheiro, especialmente em setores onde a atividade comercial está em ascensão.”

Com informações da assessoria de imprensa

Compartilhar:

Últimas Notícias