Ciberdefense Biden Joe

Biden propõe alocar US$ 10 bilhões para fortalecer ciberdefesa

Alguns especialistas em segurança cibernética esperam que a proposta de Biden seja apenas uma contribuição inicial para uma iniciativa muito maior
Da Redação
19/01/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Do total de US$1,9 trilhão que o governo americano poderá utilizar na recuperação econômica dos problemas trazidos pela covid-19, o presidente eleito dos EUA, Joe Biden, propõe usar US$ 10 bilhões para apoiar a indústria de TI e a segurança cibernética.

De acordo com o “Plano de Recuperação para a América” ​​de Biden, cerca de US$ 9 bilhões serão alocados à Agência de Segurança Cibernética e de Informação dos Estados Unidos (CISA) e à Administração de Serviços Gerais (GSA) para implementar projetos de modernização da segurança cibernética e TI.

Veja isso
Como deve ser a segurança cibernética sob a presidência de Joe Biden
Antes de deixar o cargo, Trump quer criar birô de segurança cibernética

Propõe-se que mais US$ 1 bilhão seja alocado para a implementação de uma série de iniciativas de segurança da informação e TI, em particular:

  • US $ 200 milhões para recrutar rapidamente especialistas em segurança para o birô do Diretor de Segurança da Informação dos Estados Unidos e o Birô de Serviços Gerais
  • US$ 300 milhões para a implementação de projetos adicionais de TI do Departamento de Serviços Gerais;
  • US$ 690 milhões para implementar projetos da CISA para melhorar o monitoramento e a resposta a incidentes em agências federais.

O aumento no financiamento de projetos para melhorar a segurança da informação e TI é uma resposta direta ao ataque à SolarWinds, que afetou os departamentos federais dos EUA, incluindo Tesouro, Comércio, Segurança Interna, Justiça e Energia. Como Biden observou anteriormente, o incidente da SolarWinds é um excelente exemplo de uma lacuna de segurança cibernética nos EUA.

Alguns especialistas em segurança cibernética esperam que a proposta de Biden seja apenas uma contribuição inicial para uma iniciativa muito maior.

“Investir recursos adicionais em agências sem objetivos estratégicos não produz os melhores, nem mesmo os resultados desejados. Não podemos continuar a investir em estratégias e tecnologias que já se mostraram ineficazes contra as ameaças atuais. A iniciativa precisa ser restringida, pois os problemas nem sempre estão relacionados à falta de financiamento, mas sim a estratégia e arquitetura inadequadas e execução deficiente ”, disse Greg Touhill, que foi o primeiro chefe federal de segurança da informação do país.

Com agências internacionais

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Inscrição na lista CISO Advisor

* campo obrigatório