Ataques de phishing em massa para roubar informações do FGTS

Paulo Brito
06/06/2017
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Diante da ansiedade para resgatar o dinheiro do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), muitos brasileiros têm sido vítimas de golpes que visam roubar dados pessoais e assim lesar cidadãos que esperam pelo saque do FGTS. Os cibercriminos utilizam páginas falsas, domínios maliciosos e posts em redes sociais para disseminarem os ataques. A Kaspersky Lab tem bloqueado cerca de 100 domínios maliciosos por semana e 2.600 ataques de phishing por dia – o que demonstra que os criminosos brasileiros têm conseguido efetuar os roubos sem dificuldades. Com a Medida Provisória (MP) 763/2016, recentemente aprovada assegurando os saques do FGTS para as pessoas nascidas entre setembro e dezembro, não há previsão de que os ataques acabem tão cedo.

Com a nova leva de brasileiros que o governo libera para pagamento das primeiras parcelas – a quantidade de sites não oficiais com detalhes com o mesmo assunto é bastante grande. Os sites falsos solicitam basicamente o número do CPF/PIS/PASEP e a senha do cartão cidadão, em posse dessas informações os golpistas conseguirão roubar o dinheiro da conta das vítimas.

A maioria dos ataques começam com o registro de domínios relacionados ao tema, prática maliciosa que os phishers brasileiros estão fazendo massivamente. A Kaspersky Lab tem bloqueado uma média de 100 novos domínios maliciosos por semana, todos registrados por contas de e-mail gratuitas e nenhum deles estão relacionados a Caixa Econômica Federal. Entre os muitos domínios bloqueados nos ataques estão:

Os criminosos brasileiros são bastante oportunistas e costumam usar os temas em destaque no noticiário para atacar. A grande quantidade de incidentes de vazamentos de dados pessoais, somados aos ataques massivos de phishing tem possibilitado aos golpistas efetuarem os roubos sem grandes dificuldades, lesando vítimas inocentes e roubando o dinheiro do FGTS”, afirma Fabio Assolini, analista sênior da Kaspersky Lab que tem monitorado de perto os ataques com esse tema.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest