Ataque pega defesa, energia, saúde, tecnologia e educação

Da Redação
08/11/2021

Um relatório da Palo Alto Networks, empresa de serviços de segurança da informação, indica que atacantes cibernéticos comprometeram as redes de nove organizações globais nos setores de defesa, energia, saúde, tecnologia e educação. Pelo menos uma dessas organizações está localizada nos Estados Unidos.

Funcionários da NSA e da Agência de Segurança de Infraestrutura e Cibersegurança dos Estados Unidos (CISA) estão rastreando essa ameaça. Uma divisão da NSA responsável por mitigar ameaças cibernéticas estrangeiras à base industrial de defesa dos EUA contribuiu com análises para o relatório da Palo Alto Networks.

Veja isso
Empresa de energia italiana sofre ataque de ransomware
Biden propõe alocar US$ 10 bilhões para fortalecer ciberdefesa

Observa-se que os especialistas da empresa registraram várias tentativas de invasores para obter acesso a informações de empreiteiros militares dos Estados Unidos e outras fontes com informações confidenciais.

Segundo consta, os cibercriminosos conseguiram roubar senhas de várias organizações, dando-lhes acesso de longo prazo às respectivas redes. Isso pode ter permitido que eles interceptassem informações confidenciais enviadas por e-mail ou armazenadas em sistemas de computador.

De acordo com Ryan Olson, porta-voz da Palo Alto Networks, as táticas coincidem com as de um conhecido grupo de cibercriminosos chineses. Os especialistas concordam que esse é o tipo de espionagem cibernética que a atual administração da Casa Branca e a administração do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, enfrentaram. A investigação foi divulgada para alertar outras empresas de que também podem ser alvos de cibercriminosos.

Com agências de notícias internacionais

Compartilhar: