cow

Incidente nas operações da JBS nos EUA e Austrália

O ataque ocorreu no final de semana, atingindo todos os frigoríficos da JBS na Austrália, além de instalações nos EUA e no Canadá, podendo alcançar o Brasil
Da Redação
31/05/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Um ataque cibernético de natureza ainda não determinada atingiu as operações de duas empresas do conglomerado brasileiro JBS: a JBS USA e a JBS Austrália. No caso da Austrália, a paralisação fez com que que os funcionários da empresa voltassem para casa. A empresa norte-americana publicou hoje o seguinte comunicado para a mídia:

No domingo, 30 de maio, a JBS USA determinou que era o alvo de um ataque organizado de segurança cibernética, afetando alguns dos servidores que suportam seus sistemas de TI norte-americanos e australianos. A empresa tomou medidas imediatas, suspendendo todos os sistemas afetados, notificando as autoridades e ativando a rede global da empresa de profissionais de TI e especialistas terceirizados para resolver a situação. Os servidores de backup da empresa não foram afetados e ela está trabalhando ativamente com uma empresa de Resposta a Incidentes para restaurar seus sistemas o mais rápido possível.
A empresa não tem conhecimento de nenhuma evidência neste momento de que dados de clientes, fornecedores ou funcionários tenham sido comprometidos ou utilizados indevidamente como resultado da situação. A resolução do incidente levará tempo, o que pode atrasar certas transações com clientes e fornecedores.

A JBS é um grupo empresarial que teve origem em Goiás, fundado em 1953. É uma das maiores indústrias de alimentos do mundo. A JBS Austrália é o maior processador de carnes e alimentos da Austrália, e o incidente levanta preocupações sobre o fornecimento para os mercados doméstico e de exportação. A mídia australiana diz entender que o ataque afetou as operações da JBS Foods em toda a Austrália, Estados Unidos, Canadá e outros países mas somente o caso dos EUA foi confirmado.

O ataque ocorreu no final de semana, suspendendo o processamento de bovinos e ovinos em todos os frigoríficos da JBS na Austrália. Agricultores e varejistas de alimentos não sabem por quanto tempo a JBS ficará fora de ação e, além da interrupção da cadeia de abastecimento, milhares de frigoríficos temem ficar sem pagamento.

Veja isso
Ransomware MountLocker usa APIs do Windows para worm
Bose comunica ransomware ocorrido em março

O presidente-executivo da JBS Austrália, Brent Eastwood, confirmou o ataque cibernético ao site da subsidiária Beef Central, com a empresa agora lutando para colocar seus sistemas de volta em operação. Ele não soube dizer por quanto tempo os matadouros e outras instalações permaneceriam fechados. A empresa avisou que não poderia operar sem acesso a sistemas de TI e internet.

A JBS possui uma rede de 47 instalações com matadouros e confinamentos em NSW, Queensland, Victoria e Tasmânia. Analistas disseram entrevistados pela mídia disseram que cerca de 8.500 cabeças de gado e 6.500 ovelhas deveriam ser processadas nas instalações da JBS hoje. O ministro federal da Agricultura, David Littleproud, disse que o governo está trabalhando com a JBS para ajudar a retomar a produção o mais rápido possível e que é importante não tirar conclusões precipitadas sobre a origem do ataque.

“Há um processo definido no qual os ataques cibernéticos são controlados e estamos trabalhando com a empresa afetada”, disse Littleproud. “Esperamos que não demore muito. Não são apenas os trabalhadores que são afetados, mas também as indústrias em fluxo, como os caminhoneiros. Existem processos estabelecidos para relatar e investigar incidentes cibernéticos por meio do Australian Cyber ​​Security Center.”

Matt Journeaux, secretário do Sindicato dos Empregados da Indústria de Carnes da Austrália, em Queensland, disse que milhares de trabalhadores poderiam perder o pagamento como resultado da paralisação.

Com agências de notícias internacionais

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest