Ataque a banco do Paquistão leva US$ 6 milhões

Agência do Bank Islami em Karachi, Paquistão

O banco paquistanês Islami, sediado na capital do país, Karachi, e um dos mais importantes do país, reconheceu ontem que sofreu uma violação de segurança por meio do seu sistema de cartões de pagamento. As primeiras notícias dizem que a perda foi do equivalente a US$ 6 milhões, por causa de saques elevados feitos em caixas automáticos em diversos países. O banco nega esse total mas a imprensa do Paquistão afirma que é o maior ciberataque da história do país.

Um correntista do banco disse ao portal ProPakistani em entrevista que recebeu uma mensagem notificando o uso de seu cartão em um caixa eletrônico na Rússia. “Uma mensagem me avisou que alguém usou meu cartão em algum lugar na Rússia. Imediatamente entrei em contato com o banco, mas o funcionário que atendeu simplesmente não acreditou em minhas palavras e me culpou pelo vazamento de detalhes, dizendo que eu poderia ter compartilhado os detalhes da minha conta bancária com um amigo ou parente”. O cliente disse que durante esse telefonema recebeu mais três mensagens de uso de cartão em diferentes locais da Rússia. “Todo o meu dinheiro foi embora, eu fiquei de mãos vazias”.

A imprensa do paquistão diz que houve invasão do datacenter do banco, sendo possível que o roubo tenha acontecido como no caso do Cosmos Bank, da Índia, com a tomada dos servidores de switch pelos hackers. Esse outro roubo foi feito com 14.849 saques em ATMs (caixas automáticos) no dia 11 de Agosto deste ano, com a utilização de 450 números de cartões, em 28 países.

Inicialmente os executivos do banco Islami também negaram a notícia, mas depois houve um alerta do Banco do Central do Paquistão a todos os bancos por causa dos saques internacionais no Islami. Os clientes receberam uma mensagem informando que todos os serviços foram temporariamente fechados, e que seriam avisados quando fossem retomados.

Compartilhe
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp