App da COP-27 pode ser usado para espionagem, diz especialista

Aplicativo oficial da conferência mundial do clima da ONU requer permissões abrangentes dos usuários para ser instalado, o que possibilita que autoridades do Egito vasculhem dados confidenciais
Da Redação
07/11/2022

Especialistas em segurança cibernética alertaram que o aplicativo oficial da conferência mundial do clima da ONU, a COP-27, inaugurada no domingo, 6, em Sharm El-Sheikh, no Egito, pode estar sendo usado para espionar delegados enviados ao evento. 

A alegação dos especialistas é que o aplicativo oficial da COP-27, que já foi baixado mais de 5.000 vezes, requer permissões abrangentes dos usuários para ser instalado, tais como acesso à localização, fotos e até e-mails do usuário, o que possibilita que autoridades do ministério de comunicações e tecnologia da informação do Egito vasculhem dados confidenciais. “Este é um supervilão de um aplicativo de desenho animado”, disse Gennie Gebhart, da Electronic Frontier Foundation, ao The Guardian.

Veja isso
Brasil está entre os países líderes na espionagem de celulares
Cibermercenários vendem campanha de espionagem no modelo RaaS

“O maior alerta vermelho é o número de permissões necessárias, o que é desnecessário para a operação do aplicativo, e sugere que eles estão tentando vigiar os participantes. É uma questão em aberto como essa informação será usada, o que levanta muitas possibilidades assustadoras”, disse ele.

Teme-se que os dados possam ser usados ​​também possam ser usados para reprimir dissidentes internos. O governo do Egito, liderado por Abdel Fattah al-Sisi, chegou ao poder por meio de um golpe em 2013 e tem cerca de 65 mil presos políticos.Mais de 25 mil chefes de Estado, diplomatas, negociadores, jornalistas e ativistas devem participar da cúpula em Sharm El Sheikh.

Compartilhar:

Últimas Notícias