pixabay shop amazon 1908580 640

Amazon leva multa de € 746 milhões por violação da GDPR

Penalidade foi imposta em 16 de julho pela CNPD, a agência de proteção de dados de Luxemburgo, e divulgada em um documento regulatório da Amazon
Da Redação
02/08/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

A Amazon foi multada em € 746 milhões pelas autoridades de Luxemburgo sob a acusação de ter desrespeitado as regras de proteção de dados da União Europeia, informou a empresa na sexta-feira. A penalidade recorde – que chega a cerca de US$ 886 milhões – foi imposta em 16 de julho pela CNPD, ou Commission Nationale pour la Protection des Données, a agência de proteção de dados de Luxemburgo.

O regulador europeu reconheceu que a Amazon, usando a assistente virtual Alexa, coletou dados sobre vendedores e compradores no site, sem pedir seu consentimento. Posteriormente, as informações foram repassadas a terceiros. A empresa não concordou com as acusações e, por isso, pretende apelar da decisão do regulador, conforme afirma eu seu relatório trimestral.

Veja isso
Itália multa Google por exclusão de app da Enel
Multas por infração à GDPR aumentam 39% e somam US$ 192 milhões

“Discordamos veementemente da decisão do CNPD e pretendemos recorrer. A decisão sobre como mostramos anúncios relevantes aos nossos clientes é baseada em uma interpretação subjetiva da lei europeia de proteção de dados. Mas a multa proposta é completamente desproporcional até mesmo para ele dentro da estrutura de tal interpretação ”, disse Amazon.

A agência determinou que “o processamento de dados pessoais da Amazon não estava em conformidade com o Regulamento Geral de Proteção de Dados da UE (GDPR)”, conforme afirma a Amazon em um documento publicado na última sexta-feira dia 30 de julho.

“Acreditamos que a decisão do CNPD carece de mérito e pretendemos nos defender com vigor nesta matéria”, acrescentou a empresa, utilizando a sigla francesa da entidade. A multa derruba o recorde anterior de violação do GDPR de € 50 milhões (US$ 59,2 milhões) imposto pela CNIL da França contra o Google em 2019.

A queixa que levou à multa da Amazon foi feita em 2018 pelo grupo francês de direitos digitais La Quadrature du Net (“Squaring the Net”). A soma recorde para um peso-pesado dos EUA colocou Luxemburgo na linha de frente da guerra da Europa contra as grandes empresas de tecnologia.

Com agências de notícias internacionais

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest