banner senha segura
senhasegura
wall-street-4758079_1280.jpg

Ações de empresas de cibersegurança superam as expectativas em 2020

Apesar da devastação na economia mundial causada pela covid-19, as empresas de segurança de capital aberto mostraram-se resilientes
Da Redação
24/02/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Embora a pandemia do novo coronavírus tenha devastado a economia mundial, as empresas de segurança eletrônica de capital aberto mostraram-se resilientes em 2020 em seus vários setores, mais notadamente as de segurança cibernética que fornecem soluções de proteção em nuvem e aquelas do segmento de segurança física, que foram beneficiadas pela demanda crescente por segurança de dados e sistemas de segurança doméstica.

Mas, apesar de no geral terem resistido aos desafios impostos pela pandemia de covid-19, certos segmentos não saíram completamente ilesos. O segmento de segurança física no mercado residencial, por exemplo, experimentou contratempos com os clientes, pois as incertezas econômicas resultaram no atraso de novos projetos e iniciativas.

Em contraste, o mercado de segurança cibernética foi impulsionado pelo aumento das vulnerabilidades e da expansão das superfícies de ataque com a adesão em massa das empresas ao trabalho remoto e a migração de muitas delas para o uso de aplicativos em nuvem.

Esses fatores convergiram para atrair um número significativo de investidores em vários subsegmentos, principalmente em provedores de serviços de segurança gerenciados (MSSPs) e provedores de serviços de acesso seguro de borda de rede (SASE), além de fornecedores de soluções de segurança para 5G e IoT (internet das coisas).

Um indicativo do aumento do interesse dos investidores pelos papéis das empresas de segurança é que o mercado de ações global obteve um retorno total médio de 22,4%. O índice S&P 500, por exemplo, fechou 2020 com um ganho de 16,3% na comparação com o ano anterior, que encerrou com aumento de 28,9%. Considerando que esse desempenho foi durante a covid-19, o crescimento do ano passado foi bastante significativo. Já o índice Dow Jones Industrial concluiu o ano com um retorno de 7,2% na comparação com o ganho do ano anterior de 22,3%, enquanto o Nasdaq Composite Index superou o retorno de 35,2% em 2019, com ganhos de 43,6% em 2020.

As ações de cibersegurança, representadas pelo First Trust Nasdaq Cybersecurity (CIBR) e HACK exchange-traded funds (ETFs), superaram o desempenho do mercado geral, com retornos totais de 30,7% e 23,2%, respectivamente.

Um sinal de que o interesse do investidor permanece em alta está no fato de o múltiplo do S&P 500 EV/Ebitda (o quanto a empresa vale em relação a geração de caixa operacional) ter subido de 14,1x para 17,1x. Comparativamente, o múltiplo médio para empresas de segurança física aumentou de 16,3x para 26,4x, enquanto os múltiplos de segurança cibernética aumentaram, em média, 34,3x, bem acima da média do ano anterior de 26,5x.

Veja isso
Banalização das violações reduz seu impacto nas bolsas de valores
Relatório faz relação entre segurança cibernética e valor de ações na bolsa

Entre os vários segmentos de segurança física — monitoramento de alarme, controle de acesso, integração de sistemas e vigilância por vídeo —, o controle de acesso e integração de sistemas foram responsáveis ​​pelos maiores múltiplos de EV/EBITDA, respectivamente de 14,5x e 15,2x.

Os principais impulsionadores desse crescimento foi o aumento dos incidentes de ransomware, junto com a rápida adoção do controle de acesso móvel e a incorporação de inteligência artificial (IA) e aprendizado de máquina para detecção automática de anomalias.

Mercado atraente

Ao longo de 2020, as fusões e aquisições permaneceram em alta, já que pequenas e grandes empresas de uma ampla variedade de subsegmentos eram bastante atraentes para organizações que desejavam ampliar suas ofertas de serviços e fortalecer o portfólio para atender às demandas crescentes dos clientes por plataformas abrangentes.

A atividade de fusões e aquisições da indústria ultrapassou os níveis de 2019, com aquisições estratégicas respondendo por mais de 70% do total de transações.

As projeções para o mercado global de segurança são bastante otimistas. A estimativa é que o segmento de segurança cibernética, que movimentou US$ 173 bilhões em 2020, salte para US$ 270 bilhões em 2026, enquanto o mercado de segurança física deve subir de US$ 110 bilhões para US$ 171 bilhões até 2027.  Se consideradas as previsões de gastos de cinco anos tanto em nível governamental quanto empresarial, a expansão deve ficar acima de US$ 1 trilhão.

As recentes violações de segurança em grande escala e dos impactos dos vazamentos de dados têm obrigado as organizações em todo o mundo a colocar os requisitos de segurança no topo das prioridades e consequentemente nas discussões de orçamento e planejamento.

Um índice representativo de 32 ações de segurança física compilado pela Capstone Headwaters teve um crescimento médio de 17,8% em 2020. Um índice de 52 ações de segurança cibernética aumentou 43,2% no mesmo período.

Veja, a seguir, um panorama das ações com desempenho mais forte nas áreas de segurança física e cibernética em 2020:

Performance das ações em 2020

. Empresas de segurança cibernética

– Cloudflare (NYSE: NET)
. Aumento de 4% no preço das ações.
. A receita aumentou 50,5%, de US$ 258,6 milhões para US$ 389,1 milhões no período dos últimos 12 meses encerrado em 30 de setembro.
. O EV/Ebitda aumentou de 17,3x para 58,4x nos 12 meses encerrados em 31 de dezembro.

– ZScaler (Nasdaq: ZS)
. Aumento de 5% no preço das ações.
. A receita aumentou 44,2%, de US$ 333,1 milhões para US$ 480,3 milhões durante o período de 12 meses encerrado em 31 de outubro.
. O EV/Ebitda aumentou de 16,8x para 54,8x nos 12 meses encerrados em 31 de dezembro.

– CrowdStrike Holdings (Nasdaq: CRWD)
. Aumento de 7% no preço das ações.
. A receita aumentou 85,9%, de US$ 409,8 milhões para US$ 761,6 milhões durante o período encerrado em 31 de outubro.
. O EV/Ebitda aumentou de 23x para 60,2x nos 12 meses encerrados em 31 de dezembro.

– SailPoint Technologies Holdings (NYSE: SAIL)
. Aumento de 6% no preço das ações.
. A receita aumentou 25,3%, de US$ 280,1 milhões para US$ 350,9 milhões no período dos últimos 12 meses encerrado em 30 de setembro.
. O EV/Ebitda aumentou de 109,7x para 122,8x nos 12 meses encerrados em 31 de dezembro.

– Tenable Holdings (Nasdaq: TENB)
. Aumento de 1% no preço das ações.
. A receita aumentou 26%, de US$ 332,8 milhões para US$ 419,2 milhões no período dos últimos 12 meses encerrado em 30 de setembro.
. O EV/Ebitda aumentou de 6,3x para 12,4x nos 12 meses encerrados em 31 de dezembro.

– Varonis Systems (Nasdaq: VRNS)
. Aumento de 5% no preço das ações.
. A receita aumentou 0,3%, de US$ 269,2 milhões para US$ 270,1 milhões no período dos últimos 12 meses encerrado em 30 de setembro.
. O EV/Ebitda aumentou de 8,6x para 19x nos 12 meses encerrados em 31 de dezembro.

– Everbridge (Nasdaq: EVBG)
. Aumento de 9% no preço das ações.
. A receita aumentou 36,1%, de US$ 185,6 milhões para US$ 252,6 milhões no período dos últimos 12 meses encerrado em 30 de setembro.
. O EV/Ebitda aumentou de 13,8x para 20,6x nos 12 meses encerrados em 31 de dezembro.

– Rapid7 (Nasdaq: RPD)
. Aumento de 9% no preço das ações.
. A receita aumentou 28,3%, de US$ 304,1 milhões para US$ 390 milhões no período dos últimos 12 meses encerrado em 30 de setembro.
. O múltiplo valor para receita da empresa aumentou de 9,1x para 12,3x nos 12 meses encerrados em 31 de dezembro.

– Qualys (Nasdaq: QLYS)
. Aumento de 2% no preço das ações.
. A receita aumentou 13,4%, de US$ 311,1 milhões para US$ 352,8 milhões no período dos últimos 12 meses encerrado em 30 de setembro.
. O EV/Ebitda aumentou de 27,6x para 31,2x nos 12 meses encerrados em 31 de dezembro.

– Fortinet (Nasdaq: FTNT)
. Aumento de 1% no preço das ações.
. A receita aumentou 19,8%, de US$ 2,1 bilhões para US$ 2,5 bilhões durante o período de 12 meses encerrado em 30 de setembro.
. O EV/Ebitda aumentou de 14,8x para 42,4x nos 12 meses encerrados em 31 de dezembro.

. Empresas de segurança física

– Alarm.com (Nasdaq: ALRM)
. Aumento de 8% no preço das ações.
. A receita aumentou 25,3%, de US$ 473,3 milhões para US$ 592,9 milhões no ano fiscal encerrado em 30 de setembro.
. O múltiplo EV/Ebitda aumentou de 24,4x para 48,4x nos 12 meses encerrados em 31 de dezembro.

– Hikvision (SZSE: 002415)
. Aumento de 58% no preço das ações.
. A receita aumentou 7,1%, de US$ 8,6 bilhões para US$ 9,3 bilhões no período dos últimos 12 meses encerrado em 30 de setembro.
. O EV/Ebitda aumentou de 22,7x para 30,4x nos 12 meses encerrados em 31 de dezembro.

– Kratos Defense & Security (Nasdaq: KTOS)
. Aumento de 3% no preço das ações.
. A receita aumentou 4,2%, de US$ 696,8 milhões para US$ 726,4 milhões no período dos últimos 12 meses encerrado em 30 de setembro.
. O EV/Ebitda aumentou de 28,7x para 49,4x nos 12 meses encerrados em 31 de dezembro.

– Identiv (Nasdaq: INVE)
. Aumento de 7% no preço das ações.
. A receita diminuiu 5,8%, de US$ 86,1 milhões para US$ 81,1 milhões no período dos últimos 12 meses encerrado em 30 de setembro.
. O EV/Ebitda aumentou de 13,6x para 212,1x nos 12 meses encerrados em 31 de dezembro.

– TagMaster AB (OM: TAGM B)
. Aumento de 36% no preço das ações.
. A receita aumentou 32,7%, de US$ 27,6 milhões para US$ 36,7 milhões no período dos últimos 12 meses encerrado em 30 de setembro.
. O EV/Ebitda diminuiu de 58,4x para 22,2x nos 12 meses encerrados em 31 de dezembro.

– Verint Systems (Nasdaq: VRNT)
. Aumento de 3% no preço das ações.
. A receita diminuiu 2,4%, de US$ 1,29 bilhão para US$ 1,26 bilhão no período dos últimos 12 meses encerrado em 31 de outubro.
. O EV/Ebitda aumentou de 19,5x para 221,7x nos 12 meses encerrados em 31 de dezembro. Com informações da SecuritySales.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Inscrição na lista CISO Advisor

* campo obrigatório