Acer invadida pela segunda vez em uma semana

Depois de ter invadido a rede da empresa na Índia, grupo anuncia ter invadido a rede em Taiwan, onde fica a sede da Acer
Da Redação
20/10/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Um grupo de supostos “hackers” que se autodenomina “Desorden” informou ao portal americano Bleeping Computer ter invadido as redes da Acer em Taiwan – onde fica a sede da empresa. É a segunda invasão em menos de uma semana; o grupo comprovou o acesso com a exibição de algumas informações pessoais de funcionários.

Na semana passada, o “Desorden” já havia informado ao portal sobre a invasão de servidores das redes da Acer na Índia, roubando dados inclusive de usuários. A empresa confirmou a invasão, mas informou ao mercado que o incidente foi “um ataque isolado” que afetou apenas seus sistemas de suporte ao cliente.

Veja isso
Acer confirma segundo ataque cibernético neste ano
Hackers levam US$ 97 mi de bolsa de criptomoeda japonesa

A segunda invasão ocorre menos de uma semana depois: o Desorden entrou em contato com o BleepingComputer novamente e informou que os servidores Acer foram “hackeados”. A comunicação ao portal ocorreu no dia 15 de outubro, com acesso a informações de funcionários e produtos. Como prova, os membros do grupo forneceram capturas de tela dos portais internos da Acer Taiwan e arquivos CSV com credenciais de funcionários.

Os membros do grupo disseram ter atacado a Acer pela segunda vez para provar que a empresa ainda estava vulnerável. “Não pedimos um pagamento separado no hack de Taiwan. Nosso objetivo era provar que a Acer estava desrespeitando a segurança cibernética”, disseram os invasores.

A Acer Taiwan fechou seus servidores vulneráveis ​​logo após o grupo ter informado sobre a violação. No entanto, o grupo diz que os servidores da empresa na Malásia e na Indonésia ainda são vulneráveis.

A Acer confirmou o ataque aos repórteres do BleepingComputer e disse que no caso de Taiwan foram atingidos apenas os dados dos funcionários.

Com agências de notícias internacionais

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

ATENÇÃO: INCLUA [email protected] NOS CONTATOS DE EMAIL

(para a newsletter não cair no SPAM)