Accenture compra a Morphus, firma brasileira de cibersegurança

Da Redação
13/02/2023

A Accenture anunciou a aquisição da Morphus, provedora brasileira de serviços de inteligência cibernética, gerenciamento de riscos e inteligência em ameaças cibernéticas, transação que vai expandir o portfólio de serviços da consultoria e suas capacidades práticas no Brasil e na América Latina. Os termos financeiros do negócio não foram divulgados.

Fundada em 2003, a Morphus tem sede em Fortaleza, Ceará, com escritórios em Recife, São Paulo, Rio de Janeiro e Santiago, no Chile. O portfólio da Morphus inclui serviços de equipe vermelha e azul; serviços de governança, risco e compliance; gerenciamento de riscos corporativos; estratégia cibernética; inteligência em ameaças e serviços de segurança gerenciados (MSS).

De acordo com a recente pesquisa de Cyber Threat Intelligence da Accenture, o Brasil é uma das principais vítimas de infostealers, software malicioso projetado para roubar informações da vítima, como senhas.

“Juntamente com as capacidades e a experiência da Morphus, trabalharemos como uma equipe para ajudar as organizações a construir um negócio resiliente ciberneticamente e capaz de proteger melhor seu núcleo digital, tecnologias e cadeias de suprimentos”, disse Paolo Dal Cin, que lidera a Accenture Security globalmente. “A aquisição traz mais de 230 profissionais altamente qualificados, tornando a Accenture uma das maiores provedoras de serviços profissionais de segurança cibernética do Brasil. Nossos clientes estão sempre procurando as melhores soluções para fortalecer suas defesas cibernéticas, e a adição da Morphus expande nossa força de trabalho de pesquisa global e rede de profissionais de segurança talentosos e inovadores.”

A aquisição expande o portfólio da Accenture e marca o lançamento de uma prática da cyber industry na América Latina liderada por experientes ex-CISOs da Morphus. As novas ofertas também expandem a posição da Accenture nos mercados em crescimento nos principais grupos industriais da Morphus: mídia e tecnologia de comunicação, serviços financeiros, energia, varejo e aviação.

“Acreditamos que segurança e ciência andam de mãos dadas. Com a Accenture, podemos continuar nossa pesquisa de ameaças cibernéticas e expandir nossos estudos avançados de segurança cibernética, colaborando com especialistas em pesquisa de segurança em escala global. Estamos entusiasmados em ingressar na Accenture para oferecer nossa liderança de pensamento e atender melhor nossos clientes, fornecendo serviços líderes de mercado e proteção de defesa cibernética mais forte na América Latina”, disse Rawlison Brito, CEO da Morphus.

Com forte presença no Brasil e no Chile, a aquisição traz para a Accenture o Morphus Labs, um centro de pesquisa dedicado a estudos de segurança cibernética, vulnerabilidade e análise de ameaças e MSS. Isso resultará em um novo Cyber Fusion Center em Fortaleza à rede global da Accenture, que incluirá os recursos de pesquisa e desenvolvimento (P&D) em segurança cibernética da Morphus.

Veja isso
Accenture: epidemia de roubo de dados alimenta ataques de BEC
Head de cyber da Accenture quer mais gente. Mas não de TI

Andre Fleury, líder da Accenture Security para a América Latina, ressaltou que a equipe de segurança cibernética da Morphus “acelerará o crescimento de nossa prática da indústria cibernética na região, quase dobrando nossa pegada de segurança no Brasil”. “A aquisição complementa nossa prática global de segurança e nos permitirá ajudar nossos clientes a incorporar segurança desde o projeto e aprimorar as ofertas que fornecemos em uma ampla variedade de setores na América Latina.”

No ano passado, a Accenture foi reconhecida como líder em serviços estratégicos de segurança e MSS no Brasil pelo ISG. Desde 2015, a Accenture Security fez 16 aquisições. Após a aquisição em janeiro de 2020 dos negócios de serviços de segurança cibernética da Symantec, a consultoria se tornou uma das principais fornecedoras globais de MSS. Além disso, ela fortaleceu ainda mais suas capacidades de defesa cibernética e MSS por meio da aquisição da Real Protect, com sede no Brasil, e das empresas cibernéticas europeias Sentor e Openminded em 2021. Com agências de notícias internacionais.

Compartilhar: