Ação tenta cobrar US$5B do Google por violação de privacidade

O processo foi aberto na Califórnia: os demandantes alegam que o Google coleta informações mesmo quando os usuários ativam o “modo privado” do navegador da web
Da Redação
04/06/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Um grupo de usuários do Google abriu nesta semana uma ação coletiva contra a empresa proprietária do sistema de buscas e do navegador Chrome, argumentando que ele invadiu a sua privacidade ao rastrear sua atividade online, mesmo quando o ‘Modo Privado’ do navegador está ativado. O processo foi aberto em um tribunal federal da Califórnia, e os demandantes alegam que o Google coleta informações por meio das ferramentas do Analytics e do Ad Manager, entre outros aplicativos e plugins presentes em sites e aplicativos móveis.

Os autores da ação estão deram a ela o valor de US $ 5 bilhões, argumentando que essa subsidiária da Alphabet coletou informações sobre tudo o que as pessoas procuram e os sites que visitam, independentemente de o modo privado – recurso, projetado para melhorar a experiência de privacidade dos usuários – estar ativado ou não. O processo foi protocolado pelo escritório de advocacia Boies Schiller & Flexner, representando os usuários Chasom Brown, Maria Nguyen e William Byatt. O caso foi registrado como ‘Brown et al v Google LLC et al’, no Tribunal Distrital dos Estados Unidos, Distrito Norte da Califórnia, com o número 20-03664.

Veja isso
Google Play Protect fica em último em ranking de proteção
Google paga US$ 6,5 mi por relatos de bugs de segurança

Ao comentar o assunto, um porta-voz do Google afirmou que a empresa se defenderá das alegações porque “toda vez que os usuários abrem uma guia no modo privado, eles são informados de que os sites podem coletar informações sobre seus hábitos de navegação”.

Em tese, as informações coletadas ajudariam o Google a aprender mais sobre os usuários (preferências alimentares, roupas, hobbies e até dados relacionados às suas pesquisas mais pessoais). “O Google não deve mais participar da coleta de dados de praticamente qualquer pessoa com um computador ou smartphone não autorizado”, argumenta a petição inicial do processo.

O documento informa que a ação coletiva inclui “milhões” de usuários do Google que, desde 1º de junho de 2016, usam o modo de navegação anônima para navegar. O valor de US$ 5 bilhões exigido é para a suposta cobertura de danos causados ​​pelas “violações constantes da privacidade a que os usuários estão sujeitos”.

Com agências internacionais

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest