Ação da Polícia Federal atinge operação na dark web

Principal crime é de fraude por meio do roubo e comercialização de dados de cartões de crédito
Da Redação
09/08/2022

Começou hoje a Operação Singular 2 da Polícia Federal, com o objetivo de combater quadrilhas que agem com suporte em operações na dark web. Segundo comunicado do órgão publicado hoje, “em virtude de modernas técnicas de investigação digital no ambiente da deep web, desenvolvidas pela própria Polícia Federal, combinadas com informações obtidas na primeira fase da investigação, cuja deflagração ocorreu em 2019, foi possível a identificação de membros de organização criminosa com abrangência nacional”.

Na primeira fase da operação, em 4 de Junho de 2019, de acordo com a PF, um dos criminosos invadiu a rede de uma empresa responsável pela elaboração de provas para concursos e cobrava valores em criptomoedas para aprovar candidatos que conseguissem chegar à segunda fase do exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Cinco pessoas foram presas nessa fase, sob acusação de fraude bancária eletrônica, com o roubo de dados de cartões de crédito e sua revenda.

Veja isso
Segurança cibernética federal está em altíssimo risco
Polícia alemã fecha o Hydra, maior mercado da dark web

Na Singular 2, os investigados são especializados em invasão de e-commerces para furto de dados de cartões de crédito armazenados em seus bancos de dados. Esses cartões são posteriormente vendidos em site mantido pelos investigados na própria internet. Os dados são usados para futuras compras fraudulentas, gerando grande prejuízo ao comércio e às instituições bancárias. O prejuízo estimado atinge a quantia de R$ 125 milhões.

Os valores obtidos com o esquema criminoso são movimentados, principalmente, em criptoativos, os quais são buscados na data de hoje como forma de descapitalizar a Organização Criminosa. Estão sendo cumpridos 14 mandados de busca e apreensão e 16 de prisão preventiva nos estados de São Paulo, Ceará, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul.

Os investigados poderão responder pelos crimes de organização criminosa, cujas penas são de 3 a 8 anos de reclusão; bem como de furto qualificado, com penas de 2 a 8 anos de reclusão, sem prejuízo de outros delitos que venham a ser apurados.

Compartilhar:

Parabéns, você já está cadastrado para receber diariamente a Newsletter do CISO Advisor

Por favor, verifique a sua caixa de e-mail: haverá uma mensagem do nosso sistema dando as instruções para a validação de seu cadastro. Siga as instruções contidas na mensagem e boa leitura. Se você não receber a mensagem entre em contato conosco pelo “Fale Conosco” no final da homepage.

ATENÇÃO: INCLUA newsletter@cisoadvisor.com.br NOS CONTATOS DE EMAIL

(para a newsletter não cair no SPAM)