pixabay olympics tokyo 4973067 640

Abertura das Olimpíadas em Tóquio pode sofrer ataque

Divisão cibernética do FBI emitiu um alerta informando que a transmissão de TV dos Jogos e da abertura provavelmente serão afetados por ataques
Da Redação
22/07/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

O FBI publicou segunda-feira dia 19 de julho um alerta da série Private Industry Notification, um documento de cinco páginas informando o “Potencial de atividades cibernéticas maliciosas para interromper os Jogos Olímpicos de Tóquio de 2020” (que serão abertos nesta sexta-feira dia 23 de julho).

O FBI destacou que “Atividades maliciosas podem interromper várias funções, incluindo ambientes de transmissão de mídia, hospitalidade, trânsito, emissão de bilhetes ou segurança. O FBI até o momento não tem conhecimento de nenhuma ameaça cibernética específica contra essas Olimpíadas, mas incentiva os parceiros a permanecerem vigilantes e manterem as melhores práticas em suas redes e ambientes digitais”.

Veja isso
Japão planeja medidas de cibersegurança antes das Olimpíadas
Os cinco principais golpes das Olimpíadas

Como a agência observou, os ataques contra os Jogos Olímpicos de Verão de Tóquio em 2020 podem envolver vários tipos de ameaças, incluindo ataques distribuídos de negação de serviço (DDoS), ransomware e campanhas de phishing . Esses ataques podem interromper as transmissões ao vivo ou até mesmo impedir que elas aconteçam. Eles também podem impactar a infraestrutura digital de suporte às Olimpíadas e comprometer dados confidenciais, que podem ser criptografados posteriormente.

Segundo o órgão, “os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 podem atrair mais atenção desses atores, já que são os primeiros a serem vistos exclusivamente por meio de transmissão e plataformas digitais devido à proibição de espectadores presenciais. Os adversários podem usar campanhas de engenharia social e phishing antes do evento para obter acesso ou usar o acesso obtido anteriormente para implantar malware para interromper as redes afetadas durante o evento. As campanhas de engenharia social e phishing continuam a fornecer aos adversários o acesso necessário para realizar esses ataques”.

Com agências de notícias internacionais

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest