A lista com detalhes de clientes da Clearview AI vazou

Da Redação
02/03/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Dados ​​incluíam o número da conta de usuário que cada cliente possuía, além do número total de pesquisas que cada um deles havia realizado

A Clearview AI, uma empresa que coleta bilhões de imagens da Internet e usa o reconhecimento facial para combinar as pessoas com suas fotos, revelou que um invasor ganhou acesso a toda a sua lista de clientes, informou o portal Daily Beast. Os dados acessados ​​incluíam o número da conta de usuário que cada cliente possuía, além do número total de pesquisas que cada um deles havia realizado. A empresa disse que o invasor teve acesso ao histórico de pesquisas dos clientes, o que, segundo o portal Mashable, poderia ter implicações muito mais sérias.

Na quinta-feira da semana passada, o BuzzFeed publicou detalhes obtidos de documentos internos vazados da empresa, mostrarando que entre os clientes da Clearview existem cerca de 2.900 organizações distribuídas por 27 países. Embora a empresa sustente que trabalha apenas com a aplicação da lei, várias empresas privadas apareceram em sua lista de clientes, incluindo-se aí Macy’s, Kohl’s, Walmart e NBA. Algumas dessas empresas e órgãos policiais aparentemente não sabiam que seus funcionários haviam usado o aplicativo, e a maioria deles usava apenas testes gratuitos.

A Home Depot, por exemplo, aparece nos registros da Clearview como tendo realizado quase cem buscas em cinco contas, mas a empresa disse oficialmente ao BuzzFeed que não usava o serviço. Da mesma forma, o Departamento de Polícia de Raleigh, na Carolina do Norte, suspendeu seu contrato com a Clearview e proibiu seus policiais de usar o aplicativo depois que a empresa se recusou a permitir uma auditoria completa, mas os policiais de Raleigh continuaram usando o aplicativo por meio de testes gratuitos.

Um dos advogados de Clearview, Tor Ekeland, disse ao BuzzFeed que “existem inúmeras imprecisões nessas informações obtidas ilegalmente. Como há uma investigação federal em andamento, não temos mais comentários”. Respondendo a perguntas sobre a violação de dados, Ekeland disse ao Daily Beast em um comunicado: “A segurança é a principal prioridade do Clearview. Infelizmente, as violações de dados fazem parte da vida no século 21. Nossos servidores nunca foram acessados. Nós corrigimos a falha e continuamos. trabalhar para fortalecer nossa segurança “.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest