74% de criptomoedas ilegais vieram de ransomware russo

Essa é uma das conclusões mais importantes do primeiro relatório da Chainalysis de 2022
Da Redação
15/02/2022

Indivíduos e grupos baseados na Rússia – alguns dos quais punidos nos últimos anos com sanções do governo dos EUA – respondem por uma parcela desproporcional de atividade criminosa com criptomoedas. No geral, perto de 74% da receita de ransomware em 2021 – mais de US$ 400 milhões em criptomoedas – foram para variantes de ransomware que são provavelmente afiliados à Rússia de alguma forma. Essa é uma das conclusões mais importantes do primeiro relatório da Chainalysis de 2022. O Relatório de Crimes Criptoativos de 2022 não está pronto mas a empresa fez uma prévia em seu blog antes do lançamento, ainda este mês.

Veja isso
Cryptojacking eleva conta de nuvem a US$ 760 mil
Cryptojackers alvejam Alibaba Cloud para minerar criptomoeda

A Rússia é um país líder na adoção de criptomoedas, ocupando o 18º lugar geral no Índice Global de Adoção de Criptomoedas da Chainalysis. Mas a história do uso de criptomoedas na Rússia não é totalmente positiva. O estudo da empresa foi feito com base em grupos que atendessem um dos seguintes critérios: 1) o grupo pertence ao Evil Corp. baseado na Rússia; 2) não ataca países da Comunidade de Estados Independentes (liderado pela Rússia); 3) outras características (linguagem, documentação, conversas de afiliados etc).

No geral, cerca de 74% da receita de ransomware em 2021 – mais de US$ 400 milhões em criptomoedas – foram para variantes de ransomware “que podemos dizer que são altamente prováveis ​​de serem afiliados à Rússia de alguma forma”, diz o relatório.

A análise de blockchain combinada com dados de tráfego da Web também indica que, após os ataques de ransomware, a maioria dos fundos extorquidos é lavada por meio de serviços que atendem principalmente aos usuários russos.

Estima-se que 13% dos fundos enviados de endereços de ransomware para serviços foram para usuários que se acredita estarem na Rússia, mais do que em qualquer outra região: “Isso nos leva a outro ponto: uma enorme quantidade de lavagem de dinheiro baseada em criptomoeda, não apenas de fundos de ransomware, mas também de fundos associados a outras formas de crime cibernético, passa por serviços com operações substanciais na Rússia”.

Segundo o relatório, a Rússia é a sede de várias empresas de criptomoedas que processaram um volume substancial de transações de endereços ilícitos: “Para ilustrar a abrangência do problema, achamos interessante dar um zoom nas empresas sediadas ou com presença significativa no distrito financeiro da capital, Moscou. A Chainalysis está rastreando várias dezenas de empresas de criptomoedas que operam apenas na cidade de Moscou que facilitam quantidades significativas de lavagem de dinheiro”.

Com agências de notícias internacionais

Compartilhar:

Últimas Notícias