ESET aponta crescimento de ransomware

Paulo Brito
26/02/2016
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

esetA ESET acaba de divulgar um estudo inédito durante o Mobile World Congress, em Barcelona, na Espanha, que aponta o crescimento das infecções do malware Ransomware nos celulares equipados com  Android. Seja pelo bloqueio da tela inicial, pelo travamento do PIN ou pela encriptação dos dados, o software malicioso pode causar a perda de dados nos smartphones e graves prejuízos financeiros aos usuários.

O levantamento da ESET aponta que o Ransomware continua uma ameaça forte e em expansão, revelando a identificação de novas familias do malware, como o Lockscreen e o Crypto. Como outros tipos de malware para Android – trojans SMS, por exemplo – as ameaças Ransomware adotam muitas técnicas similares às das versões antigas para sistema operacional Windows em desktops.

No Android como no Windows, o Ransomware Lockscreen bloqueia a tela inicial com o objetivo de assustar as vítimas acusando (falsamente) a existência de conteúdo ilegal no dispositivo e cobrando um valor de resgate para que o acesso seja reestabelecido. Já o Crypto Ransomware para Android tem usado criptografia forte para fazer com que os usuários não consigam recuperar os arquivos sequestrados de seus dispositivos. Como hoje as pessoas costumam guardar muitos dados no celular que antes ficavam armazenados nos computadores, como galerias de fotos, a ameaça de perdê-los é maior do que nunca.

Uma observação interessante identificada pelos pesquisadores da ESET é que o Leste Europeu não tem sido mais o foco de ataques dos cibercriminosos. Um crescente número de ameaças famílias Android/Simplocker e Android/Lockerpin vê, atacando muitas vítimas nos Estados Unidos.

O gráfico abaixo indica o crescimento das detecções do Ransomware na plataforma Android desde abril de 2014, alcançando pico de infecções nos meses de agosto e setembro, conforme registrado pelo ESET LiveGrid® telemetria.

“Os usuários estão armazenando cada vez mais informações valiosas nos celulares, o que torna o Ransomware para Android uma ameaça realmente perigosa. É importante que os consumidores sejam alertados do aumento dessas detecções para protegerem seus dispositivos com soluções de segurança e adotarem medidas de prevenção de riscos, como evitar baixar aplicativos não oficiais e manter um backup de todos os dados do celular”, afirma Camillo Di Jorge, presidente da ESET no Brasil.

Para mais informações, acesse o relatório completo em inglês:

http://www.welivesecurity.com/wp-content/uploads/2016/02/Rise_of_Android_Ransomware.pdf

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest