4 motivos para uma pequena empresa ter seguro cibernético

Estudo da Accenture revela que 43% de todos os ataques cibernéticos têm como alvo pequenas empresas, daí a necessidade de um seguro
Da Redação
21/11/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Embora as grandes corporações tenham ocupado as manchetes com ataques de ransomware nos últimos tempos, normalmente devido ao pagamento de milhões de dólares de resgate, as pequenas empresas não estão imunes aos problemas de segurança cibernética. Na verdade, eles são tão suscetíveis quanto as grandes empresas.

É o que mostra o estudo “Custo do Cibercrime” da Accenture, o qual constatou que 43% de todos os ataques cibernéticos têm como alvo pequenas empresas. Porém, segundo o levantamento, menos de 15% das empresas que se enquadram nesse perfil estão preparadas para se proteger caso seus sistemas sejam violados.

“Gerenciamento de senhas, atualizações de sistema, treinamento consistente são medidas que podem não ser suficientes. Praticar a higiene cibernética posiciona melhor sua empresa para evitar um ataque cibernético. Mas as violações ainda podem acontecer e, quando acontecem, as consequências são potencialmente devastadoras”, alerta o relatório da Accenture.

De acordo com a consultoria, o seguro cibernético é uma forma de cobertura que ajuda organizações a remediar problemas que surgem após um ataque cibernético. “Com o número de crimes cibernéticos crescendo continuamente, combinar a higiene cibernética consistente com um plano de seguro cibernético adequado é uma abordagem que mais empresas estão adotando. Se os dados forem violados, o seguro cibernético diminui o tempo de recuperação. Em muitos casos, também pode ajudar a minimizar ao máximo as perdas financeiras”, diz o documento.

Para tentar ajudar as empresas que estejam considerando fazer um seguro cibernético ou que apenas queiram saber o que é, o site Daily Inter Lake Better pediu ao Business Bureau que descrevesse os tipos de proteções oferecidos nas apólices e fornecesse informações para encontrar um seguro confiável. Confira a seguir:

• Defesa legal: dependendo da gravidade do ataque, sua empresa pode precisar de ajuda jurídica. Esse tipo de assistência costuma ser bastante caro. O seguro cibernético cobre as despesas caso a organização precise contratar advogados para ajudar a juntar as peças após uma violação.

• Lucro perdido: as violações de dados não são baratas. Se sua empresa tiver que interromper as operações por causa de um ataque cibernético, essa paralisação pode resultar na perda de milhares ou até milhões de dólares. Ela também poderá precisar comprar um novo hardware, caso o ataque tenha causado danos permanentes a alguns de seus sistemas.

Veja isso
Contratação de seguro cibernético cresce 161% no Brasil
Seguro para ransomware: vale a pena ter ou não?

• Resgate: se um invasor mantiver os dados da empresa como “reféns” até que seja pago um resgate para recuperá-los, é preciso estar preparada. A cobertura dos custos associados, inclusive das investigações, está incluída em algumas apólices de seguro cibernético, bem como quaisquer despesas incorridas para recuperar as informações.

• Reputação: informações falsas sobre a empresa compartilhadas online podem impactar permanentemente a credibilidade da marca. É por isso que a difamação ligada ao cyberbullying ou outras formas de assédio online é assegurada por algumas políticas cibernéticas.

Encontrar uma apólice de seguro cibernético abrangente e confiável pode exigir um pouco de esforço. “A segurança cibernética é um ambiente tão dinâmico e mutável que as políticas neste ano mudaram completamente”, disse Derek Gabriel, CEO do Ignite Solutions Group, provedora de serviços de TI, ao Daily Inter Lake. “Os requisitos para obter essas políticas e o que elas protegerão realmente mudaram drasticamente. Então, você realmente quer trabalhar com um especialista.”

Ele recomenda fortemente que as empresas aproveitem seus contatos de seguro atuais para encontrar alguém equipado para o trabalho. As seguradoras especializadas em cobertura cibernética também estão se tornando mais comuns.

Segundo Gabriel, os consumidores estão cada vez mais informados sobre as formas como suas informações podem ser violadas, por isso, ter uma apólice de seguro cibernético não apenas demonstra aos clientes que a empresa se preocupa com a proteção de sua privacidade, mas também o diferencia de seus concorrentes.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

ATENÇÃO: INCLUA [email protected] NOS CONTATOS DE EMAIL

(para a newsletter não cair no SPAM)