30 dias, 60 milhões de tentativas de plantar malware

Da Redação
08/07/2024

Uma nova pesquisa realizada pela NordVPN revela que, somente em maio, os brasileiros sofreram mais de 60 milhões de tentativas de infecção por malware: conteúdos adultos, sites gratuitos de hospedagem de vídeo e páginas que imitam marcas conhecidas e respeitáveis são as principais fontes dessas ameaças.

Veja isso
Produtores de malware já participam de feiras
Ataque inova com ‘bombas de fragmentação’ de malware

O estudo destaca que, somente no mês analisado, o recurso Threat Protection Pro da NordVPN bloqueou mais de 5 bilhões de anúncios intrusivos e quase 40 bilhões de rastreadores. Com quase 3 milhões de incidentes relacionados a malware, os brasileiros são o terceiro país mais afetado entre todos os usuários do Threat Protection Pro na América do Norte e Latina. Os Estados Unidos lideram com 50 milhões de incidentes, seguidos pelo Canadá, com 13 milhões.

“Todos os dias enfrentamos ameaças cibernéticas sem sequer perceber. Mesmo que não vejamos malwares ou rastreadores a olho nu, ou possamos lidar com a irritação causada por anúncios intrusivos, isso não nos salva de problemas graves de privacidade e cibersegurança. Devemos melhorar nosso conhecimento e usar ferramentas tecnológicas confiáveis para evitar essas ameaças”, diz Adrianus Warmenhoven, consultor de cibersegurança da NordVPN.

Malwares

A pesquisa da NordVPN mostra que, de 1º de janeiro a 31 de maio, o Threat Protection Pro bloqueou mais de 24 milhões de links maliciosos em sites de conteúdo adulto (ou 8% de todos os sites bloqueados), bem como 16 milhões de links em sites não categorizados (5%) e 13 milhões em sites de serviços web (4%).

Além disso, os cibercriminosos frequentemente usam grafias enganosas de marcas populares para enganar as vítimas e levá-las a clicar em links de phishing e baixar arquivos infectados. Até 99% de todos os ataques de phishing usam apenas 300 marcas para enganar os usuários. As marcas que mais foram imitadas para espalhar malware são Office365 (86 mil URLs falsos descobertos), Gazprom (60 mil), AT&T (28 mil), Facebook (19 mil) e Bet365 (15 mil).

O risco de infecção por malware varia por região geográfica. Essas diferenças podem ser atribuídas aos diferentes níveis de conectividade à internet, desenvolvimento econômico e conscientização sobre cibersegurança em diferentes países.

Em média, um dispositivo de um usuário brasileiro é exposto a 131 incidentes relacionados a malware por mês. Em comparação, a Ucrânia é o país mais afetado, com 786 tentativas de infectar um dispositivo com malware por mês.

Rastreadores e anúncios intrusivos

Rastreadores webs são uma ampla categoria de ferramentas invasoras de privacidade que coletam informações sobre a atividade do usuário. Os rastreadores geralmente assumem a forma de scripts especiais, cookies do navegador ou pixels de rastreamento. Infelizmente, em caso de violação de dados, as informações armazenadas pelos rastreadores podem acabar nas mãos de hackers.

Com isso em mente, os usuários devem estar muito atentos ao usar sites de hospedagem de vídeo gratuitos (28% de todos os rastreadores bloqueados), armazenamento online (13%) e motores de busca (13%). Desde 1º de janeiro, o Threat Protection Pro bloqueou 39 bilhões de rastreadores apenas de sites de hospedagem de vídeo gratuitos, enquanto a categoria de armazenamento online é responsável por 18 bilhões de rastreadores.

Anúncios invasivos e irrelevantes aparecendo inesperadamente, bloqueando a página principal e abrindo novas páginas e janelas também são mais comuns em sites de hospedagem de vídeo gratuitos (2 bilhões de tentativas bloqueadas), conteúdo adulto (1 bilhão) e sites de anúncios (807 milhões).

Os anúncios intrusivos podem infectar os dispositivos dos usuários ao vinculá-los a sites maliciosos, violar a privacidade ao coletar dados da atividade na web e impactar a velocidade de carregamento do site.

Compartilhar: