phishing

25% dos casos de phishing ocorrem no contexto profissional

Pesquisa da Avast mostra que um quarto dos casos ocorre quando as pessoas estão numa situação de trabalho
Da Redação
12/11/2020

Uma pesquisa da Avast sobre os ataques de phishing revela que 39% dos brasileiros se depararam com uma tentativa desse golpe, 29% foram vítimas e 28% não têm certeza se caíram no golpe ou não. Dos entrevistados que caíram, 76% foram vítimas em contextos pessoais e 24% em um contexto profissional.

“Hoje, os criminosos podem atingir as pessoas com ataques de phishing, por meio de vários canais diferentes, sendo fundamental que as pessoas estejam cientes sobre eles e sobre os atuais golpes que estão circulando. De janeiro a setembro de 2020, a Avast protegeu uma média de 3.700 de 100.000 brasileiros, mensalmente, contra os ataques de phishing”, diz André Munhoz, Country Manager para o Brasil da Avast.

Dois terços dos brasileiros que foram vítimas de phishing não relataram o golpe. Os motivos para não denunciar os golpes incluem não saber para quem (41%), não ter associado o golpe a um problema (23%), falta de crédito nas providências pós relato (18%) e por acharem que a informação coletada no incidente não tem valor (15%).

Veja isso
Certificado SSL já está em 80% dos sites de phishing
Phishing é um problema de dimensões ainda desconhecidas

Entre os brasileiros que foram vítimas de phishing, quase um quarto (24%) disseram ter de alterar sua senha; 15% tiveram de cancelar seu cartão de pagamentos; 9% afirmaram que seus dados pessoais foram roubados; e 8% que seu dinheiro foi roubado.

Dos que sofreram perdas financeiras, 24% perderam até  R$ 259,00;  8% entre R$ 260,00  e  R$ 529,00;  13% entre  R$ 530,00 a R$ 1.059,00;  13% entre R$ 1.060,00  a R$ 1.589,00; e 46% mais que R$ 1.590,00.

“A engenharia social é usada para realizar phishing, induzindo as pessoas a realizar certas ações. Os cibercriminosos usam a engenharia social para tirar proveito do comportamento humano, pois é mais fácil enganar uma pessoa do que invadir um sistema. Eles fazem isso brincando com as emoções das pessoas, usando o medo, aplicando pressão sobre a vítima com um senso de urgência, entusiasmo ou alegando que precisam de caridade”, comenta Munhoz.

A maioria dos golpes de phishing não são relatados

Entre as vítimas de phishing que relataram o golpe, aproximadamente metade (47%) informou a polícia; 31% relataram ao provedor de e-mail; 27% ao provedor do sistema operacional; 17% ao provedor de antivírus; e 13% ao provedor de telecomunicações.

Compartilhar:

Últimas Notícias