Riscos do tráfego invisível e potencialmente perigoso

Agendado para 13 de maio, em São Paulo, o evento Security Day, promovido pela Forcepoint e a Security Web, revenda especializada em projetos de segurança, instalação, serviços, suporte  e consultoria,  recebe Wellington Lobo, gerente de canais Brasil da Forcepoint, para discutir os riscos que as empresas enfrentam com o tráfego invisível da Web, que por desconhecimento das equipes de TI torna-se potencialmente perigoso ao comprometer a segurança de dados, conformidade e produtividade de toda a organização.

 

Com a palestra “TIPP – Tráfego Invisível Potencialmente Perigoso, o ponto cego na estratégia de segurança”, Lobo irá discorrer sobre as ameaças a que se expõem as empresas com todo o conteúdo sem classificação que os gestores de TI aplicam como “não categorizados” no gateway de acesso, incluindo no agrupamento websites de conteúdo dinâmico com conteúdo malicioso.

 

De acordo com o executivo, “Os riscos embarcados dentro das redes sem a devida análise de segurança são inúmeros, podendo trazer prejuízos que envolvem fatores legais, perda de produtividade e roubo de informações. É imprescindível entender e controlar este tráfego, com total visibilidade e isso somente é possível com uma solução que analisa em tempo real todo o conteúdo Web embarcado no tráfego corporativo”.

 

No evento, Lobo ainda comentará sobre as novidades no processo de integração da plataforma Forcepoint com as tecnologias Websense, Raytheon Cyber Products e Stonesoft. Com a integração, a Forcepoint traz uma abordagem renovada para enfrentar os desafios da cibersegurança que estão em constante evolução e as exigências regulatórias que se deparam as empresas e órgãos governamentais.

 

A nova companhia capacita organizações a impulsionarem seus negócios, mediante a adoção segura de tecnologias transformadoras – nuvem, mobilidade, Internet das Coisas (IOT) e outras – através de uma plataforma unificada e centrada na nuvem que protege usuários, redes e dados, ao passo em que elimina as ineficiências envolvidas no gerenciamento de uma coleção de produtos de segurança de terminais. A plataforma da Forcepoint protege contra ameaças internas e externas, detecta brechas de segurança com rapidez, reduz ao mínimo o “dwell time” – o período entre o compromisso e a reparação – e impede o roubo de dados.