Mercenários no mundo digital

Mercenários no mundo digital
Hidden Lynx

Os governos interessados em atacar redes ou obter informações já estão contratando mercenários para executarem essas ações no mundo digital. Grupos de hackers como o Hidden Lynx e outros prestam serviços a que possa pagá-los bem.

O pessoal da Kaspersky registrou em 2013 informações importantes sobre ataques gerados por empresas que recorreram a criminosos virtuais para invadir as redes de seus concorrentes.
Segundo a Kaspersky, Grupos de criminosos virtuais terceirizados realizaram operações que, em geral, visavam roubar informações. Outros ataques foram baseados em sabotagem – uso de programas maliciosos para limpar dados ou bloquear operações de infraestrutura. Alguns cavalos de Troia especiais foram capazes de furtar dinheiro por meio de home banking. Os criminosos virtuais também conseguiram comprometer sites corporativos e redirecionar seus visitantes para endereços maliciosos, prejudicando a reputação das vítimas. Ataques de DDoS feitos por esses grupos causam prejuízos financeiros, já que bloqueiam recursos da Web voltados para o público durante vários dias. Assim, os clientes começam a procurar endereços mais confiáveis, o que resulta em perdas financeiras de longo prazo.
Vitaly Kamluk, principal pesquisador de Segurança da Equipe de Pesquisa e Análise Global da Kaspersky Lab, diz que “os criminosos virtuais aperfeiçoam seus malwares continuamente, usando abordagens e soluções não convencionais, desde os chamados codificadores e fragmentadores, que se espalham como praga em ambientes corporativos, a exércitos de zumbis que devoram todos os recursos disponíveis em servidores Web e redes de transferência de dados”.